Igreja vazia na Argélia
Igreja vazia na Argélia

Em 14 de novembro, um tribunal argelino ordenou o fechamento de uma igreja em Aït Djemaa, cidade a 35 km ao sul de Tizi Ouzou, no distrito de Ait Bouadou.

A ordem foi feita com a alegação de que a igreja não possui a permissão necessária do Comitê Nacional para a Adoração Não-Muçulmana para atuar na região, conforme informou a organização em defesa cristã Middle East Concern (MEC).

Autoridades locais entraram com uma ação judicial contra a igreja em setembro de 2017, acusando-a de infringir os regulamentos de cultos não-muçulmanos. O edifício eclesiástico é zoneado para uso residencial ou comercial, mas não como um local de culto.

A igreja é afiliada à Igreja Protestante da Argélia (L’Église Protestante d’Algérie – EPA), mas o tribunal decidiu que tal afiliação não elimina a exigência de que igrejas individuais devem obter permissão do Comitê Nacional. A EPA vai recorrer do veredito.

Esta situação reflete uma dificuldade legal de longa data enfrentada pelas igrejas na Argélia. Tal decreto estipula que a permissão deve ser obtida antes de se usar um prédio para o culto não-muçulmano.

No entanto, as autoridades não responderam a quase todas as solicitações das igrejas afiliadas ao EPA registradas legalmente. Dada a falta de resposta, tornou-se prática padrão das igrejas alugar instalações e informar as autoridades locais de que as estão usando como locais de culto.

A igreja em Aït Djemaa foi inaugurada em dezembro de 2015 e tem cerca de 200 membros. Em fevereiro de 2016, as autoridades do distrito emitiram um aviso aconselhando o pastor a cessar todas as atividades da igreja, mas a igreja continuou a se reunir.

O encerramento da comunidade cristã em Aït Djemaa é o mais recente em uma série de fechamentos de igrejas protestantes, com um episódio em julho e outro em outubro, ambos no ano passado. Em abril, uma livraria cristã e uma creche para crianças cristãs também foram fechadas.

Fonte: Missão Portas Abertas