Vice-premiê e ministro do Interior da Itália, Matteo Salvini
Vice-premiê e ministro do Interior da Itália, Matteo Salvini

O vice-premiê e ministro do Interior da Itália, Matteo Salvini, ordenou uma mudança na nomenclatura dos formulários oficiais de forma a impedir que casais homossexuais se declarem pais de uma criança, informou a Folha de São Paulo.

Líder do partido de extrema direita e anti-imigração Liga, Salvini falou sobre a mudança em uma entrevista a um jornal católico. Em vez de “progenitor 1” e “progenitor 2”, o formulário para o registro de uma criança na Itália passará a ter “pai” e “mãe”.

“Vamos defender a família natural fundada na união entre um homem e uma mulher. Vou exercer todo o poder possível”, disse Salvini ao La Nuova Bussola Quotidiana.

Na Itália, é ilegal a gravidez de barriga de aluguel e casais homossexuais não podem adotar crianças.

No entanto, alguns tribunais têm dado status de pai ao parceiro de uma mãe ou pai que tenha criança de um relacionamento anterior, ainda que o direito não esteja estabelecido na Constituição.

Sobre o tema, Salvini afirmou que o governo jamais contemplou barrigas de aluguel “ou horrores similares”.

O governo anterior, de centro-esquerda, havia aprovado há dois anos uma lei que concedia direitos a casais homossexuais em união civil.

Após a formação do novo governo, em junho, o novo ministro da Família, Lorenzo Fontana, conhecido por suas visões católicas conservadoras, disse que “não existem famílias arco-íris”.

Fonte: Folha de São Paulo