Pastor Otoni de Paula
Pastor Otoni de Paula

O pastor e vereador do Rio de Janeiro, Otoni de Paula, causou polêmica na sessão da última quinta-feira, que rejeitou o pedido de impeachment do prefeito Marcelo Crivella, quando rebolou no plenário e deu uma “banana” à plateia.

A postura do vereador, que foi contra o pedido de impeachment do prefeito Marcelo Crivella (PRB), causou polêmica e revoltou alguns fiéis da Assembleia de Deus Ministério Missão Vida, segundo reportagem do jornal O Dia.

Com perfil conservador, boa parte dos frequentadores das filiais da igreja, no Colégio e na Barra da Tijuca, reprovou o comportamento de seu comandante, o pastor e vereador Otoni de Paula (PSC).

O vereador pregou normalmente nos cultos no dia seguinte à polêmica, mas, antes, tentou se explicar. Atacou a imprensa e defendeu a reunião secreta de Crivella. “Entre o maconheiro (Marcelo Freixo, do Psol) e o pastor, o Rio elegeu o pastor (para prefeito)”, disse Otoni de Paula.

O parlamentar repetiu a dancinha na igreja. “Desci da tribuna, olhei para os esquerdopatas e fiz um gesto de que não tinha medo”, afirmou, rebolando em seguida. “Só não pode falar que fiz uma dança homofóbica”.

Homofobia?

A dancinha do vereador Otoni de Paula foi considerada “um gesto homofóbico menosprezando o colega David Miranda do PSOL”, que é homossexual, de acordo com o site DCM

Em seu twitter, Miranda criticou o pastor e disse que ele vai responder no Conselho de Ética por quebra de decoro parlamentar.

“Demorou mais de 450 anos para um LGBT assumido chegar à Câmara de Vereadores do Rio! Não admitirei LGBTfobia no Plenário da Casa, como não aceito em lugar nenhum! Vereador Otoni de Paula vai responder no Conselho de Ética por quebra de decoro!“, disse Miranda em seu Twitter.

A página do Facebook “Quebrando Tabu”, publicou um vídeo editado, onde mostra o momento da dança do vereador Otoni de Paula.

 Fonte: O Dia, DCM e Quebrando o Tabu