Marcando presença na cena rap desde os 13 anos de idade, o cantor e compositor Anderson de Araújo Ribeiro, que adotou o nome artístico MN MC (Maloqueiro Nerd Mestre de Cerimônia), apresenta a música Não Tentarás, lançada através do selo GrajaHits com distribuição da ONErpm Gospel. A música, que é um grito de protesto, traz a participação especial do cantor Leonardo Gonçalves.

“Esta música nasce como protesto ao comportamento de muitas igrejas cristãs frente à pandemia de Covid. Da mesma forma que, de acordo com o relato de Mateus, Satanás usou as Escrituras para tentar Jesus, hoje, infelizmente, muitos cristãos usam a Bíblia para promover a morte ao invés da vida, questionando as vacinas e promovendo aglomerações, entre outras coisas”, sintetiza o rapper.

Esta é a primeira vez em que Leonardo Goncalves faz collab com um MC. Leo, que foi pai recentemente e participou da faixa Brilhar Por Ti, do projeto comemorativo Nossa História, do Novo Tom, conta que conheceu o trabalho de MN por causa da música Flow Ed René e foi a partir daí que eles começaram a trocar ideia até nascer a parceria em Não Temerás.

“MN estava na construção de um EP que lançaria em 2021 e me chamou pra talvez gravar um interlúdio de uma leitura de um texto bíblico ou falando algo a respeito de todos os seres humanos termos sido criados à imagem e semelhança de Deus (um dos assuntos a respeito dos quais conversamos), mas, honestamente, eu queria um pouco mais do que isso. Já devo ter quase 100 collabs nesses meus 20 anos de jornada e nunca havia feito um collab com um rapper ou MC e, dentro do contexto do que vimos do comportamento de muitas igrejas frente à pandemia, acabamos por fazer essa música juntos, a partir de conversas nossas. O texto-chave é a cena da tentação de Cristo de acordo com Mateus em que, de maneira muito emblemática, o próprio Satanás usa as Escrituras para tentar a Jesus e propagar a morte. Que nós, hoje, não sejamos assim”, declarou Leonardo.

Apaixonado por música desde criança, MN MC teve influência dos dois irmãos – um era dançarino de hip hop e o outro era músico da igreja. Em 2004, ele integrou o grupo Argumentos Periféricos, onde aprendeu mais sobre a cultura do Hip-Hop e escreveu suas primeiras composições. Em 2005, foi convidado para entrar no grupo P.O.S., que foi o grupo de rap mais proeminente na época.

Em 2006, o artista passou a frequentar uma igreja evangélica e se tornou cristão protestante. Foi então que ele decidiu se dedicar à carreira solo mais voltada ao rap gospel e passou a se apresentar em igrejas e eventos comunitários para divulgação e venda dos CDs que eram feitos de maneira artesanal. No ano de 2009, conheceu o produtor Apolo, que trabalhava com Rael, Criolo, Projota e Emicida.

Seu primeiro álbum oficial – Incluídos Fora Dessa… – foi lançado de forma independente pelo seu próprio selo – Crente Loko Produções, no ano de 2010. Dois anos depois, MN lançou o projeto comemorativo 15 Anos Online, uma live-show especial contendo seus maiores sucessos.

Atualmente, MN está trabalhando no novo álbum Jesus Preto, que abordará temas como Teologia Negra e racismo estrutural. Além de Não Tentarás, o projeto já teve outras duas faixas lançadas nas plataformas digitais: Jesus Preto e Plano de Deus.

Envolvido também em causas sociais, MN já levou música e motivação até o Presídio Feminino de Santana, em São Paulo, considerada a maior penitenciária da América Latina. Em 2016, ao lado de Ton Carfi e Mara Maravilha, o rapper foi homenageado em uma sessão solene na Câmara Municipal de São Paulo por sua contribuição à sociedade


Comentários