Donald Trump do lado de fora da Igreja Episcopal de São João, perto da Casa Branca (Foto: C-Span)

Donald Trump foi acusado de visitar uma igreja vandalizada nos protestos de George Floyd com uma foto para “fins políticos partidários”, mas alguns cristãos o defenderam.

A Igreja Episcopal de São João, perto da Casa Branca em Washington, foi pichada durante protestos  contra a morte de Floyd na noite de domingo. Seu escritório paroquial também foi incendiado. 

Na segunda-feira, Trump caminhou até a igreja e ficou do lado de fora segurando uma Bíblia momentos depois de proferir um discurso na Casa Branca, no qual ameaçou empregar as forças armadas para reprimir a agitação generalizada sobre a morte de Floyd. 

O chefe da Igreja Episcopal dos EUA, o bispo Michael Curry, disse que as ações de Trump não fizeram “nada para nos ajudar ou para nos curar”. 

“Esta noite, o Presidente dos Estados Unidos estava em frente à Igreja Episcopal de São João, levantou uma Bíblia e tirou fotos de si mesmo. Ao fazer isso, ele usou um prédio de igreja e a Bíblia Sagrada para propósitos políticos partidários”, ele escreveu no Twitter. 

“Isso foi feito em um momento de profunda mágoa e dor em nosso país, e sua ação não fez nada para nos ajudar ou para nos curar”.

“A Bíblia que o Presidente sustentou e a igreja à qual ele estava diante representam os valores do amor, da justiça, da compaixão e de uma maneira de curar nossas mágoas.

“Precisamos que nosso Presidente, e todos os que ocupam cargos, sejam líderes morais que nos ajudem a ser um povo e uma nação vivendo esses valores.

“Pelo bem de George Floyd, por todos os que sofreram injustamente, e pelo bem de todos nós, precisamos de líderes para nos ajudar a ser uma nação, sob Deus, com liberdade e justiça para todos “.

O bispo de Washington, a Rev Rev Mariann Budde, disse que ficou “indignada” com a visita de Trump, que disse não mostrar “nenhum sentido de que este seja um espaço sagrado para ser usado para fins sagrados”. 

“Ele levou os símbolos sagrados à nossa tradição e ficou na frente de uma casa de oração, esperando que fosse um momento de comemoração”, disse ela à Associated Press.

“Não havia nada que eu pudesse fazer além de falar contra isso”.

Outros, no entanto, agradeceram a Trump por sua visita à igreja, entre eles o CEO da Samaritan Purse, Franklin Graham.

“Depois de seu discurso no Rose Garden na segunda-feira à tarde, o presidente Donald J. Trump fez uma declaração caminhando pelo Lafayette Park até a Igreja Episcopal de São João que havia sido vandalizada e parcialmente queimada na noite de domingo”, escreveu ele no Facebook.

“Ele surpreendeu os que o seguiram segurando uma Bíblia em frente à igreja. Obrigado Presidente Trump. Deus e Sua Palavra são a única esperança para a nossa nação.” 

O Dr. Robert Jeffress, pastor sênior da mega-igreja batista em Dallas, disse: “Graças a Deus por um presidente como @realDonaldTrump, que tem a intenção de proteger nosso grande país dos anarquistas que estão tentando destruí-lo. Como a Bíblia diz: ‘O pecado é ilegalidade’ (1 João 3: 4).”

Folha Gospel com informações de The Christian Today