Em depoimento, a vítima disse que não denunciou o pastor Marcos (foto) por medo de ser morta e por temer deixar a igreja e ir para o inferno.

Uma das supostas vítimas do pastor Marcos Pereira da Silva confirmou, em depoimento nesta segunda-feira (1º) à 2ª Vara Criminal de São João de Meriti (Grande Rio), ter sofrido abuso sexual pelo pastor Marcos Pereira da Silva, da Igreja Assembleia de Deus dos Últimos Dias, segundo informações da assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ).

A depoente disse que não o denunciou por ter medo de ser morta a mando dele e também por temer deixar a igreja e ir para o inferno.

Além dela, foram ouvidas três testemunhas de acusação, que afirmaram ter sofrido abuso por parte do pastor quando ainda eram membros da igreja. Duas eram menores de idade na época dos crimes e algumas relataram terem sido obrigadas a participar de orgias.

A defesa ouviu duas testemunhas: a secretária da igreja e uma frequentadora. Segundo o TJ-RJ, a secretária afirmou que a vítima do processo parecia viver bem e feliz quando morava na igreja e ambas declararam desconhecer qualquer fato que desabonasse a conduta do pastor.

No interrogatório, Marcos Pereira voltou a responsabilizar os membros do ONG Afro-Reggae de convencerem as testemunhas a depor contra ele, negando todas as acusações de abuso sexual. Agora o processo entrará na fase de alegações finais e depois de sentença.

[b]Fonte: UOL[/b]