No Distrito federal, o avanço da aids e de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) é cada vez maior entre os jovens com idade entre 15 e 24 anos, idosos e homossexuais.

Um estudo divulgado pela secretaria estadual de Saúde revela que, dentre os motivos de transmissão do vírus HIV, está o descuido nas relações sexuais. Ou seja, a falta de uso de preservativo. Praticamente um em cada três casos de aids notificados à secretaria ocorre por meio da transmissão sexual.

“A gente observa que a informação pura e simples não leva a mudanças de comportamento. Ainda existe aquele pensamento mágico: ”é só uma vez transar sem camisinha, não vai acontecer comigo”, disse a gerente de DST-AIDS da secretaria, Diva Castelo Branco. “Por isso, precisamos investir mais em campanhas. Não só de massa, mas trabalhar em grupos específicos, empresas e escolas. Precisamos aumentar o número de multiplicadores de educação e saúde.

Segundo ela, são registrados por ano 400 casos de aids e cerca de 5 mil casos de doenças sexualmente transmissíveis. Ela lembra que as DSTs aumentam em 18 vezes o risco de se adquirir o vírus da Aids.

As regiões da Asa Norte, do Lago Norte e do Cruzeiro são as que registram mais ocorrências de aids entre os homens.

Fonte: Agência Brasil