O jogador evangélico, Kaká, é de longe o favorito para ampliar seu número de troféus e títulos nesta temporada quando a Fifa anunciar, hoje, em Zurique, o nome do Melhor Jogador do Mundo.

Kaká, que voaria para a Suíça depois de ter ajudado o Milan a vencer o Boca Juniors por 4 x 2 na final do Mundial de Clubes, neste domingo, tem como rivais pelo título o português Cristiano Ronaldo, do Manchester United, e o argentino Lionel Messi, do Barcelona.

O trio foi escolhido como os três melhores jogadores do ano numa votação com técnicos e capitães de várias seleções nacionais, mas o vencedor será revelado somente na segunda-feira.

Kaká, que ajudou o Milan a conquistar o título da Liga dos Campeões em 2007, é considerado o grande favorito depois de já ter conquistado uma série de prêmios individuais neste ano.

No início deste mês, ele recebeu o prestigiado prêmio Ballon d’Or, oferecido pela revista France Football, que realizou uma pesquisa com jornalistas esportivos ao redor do mundo. Em seis dos últimos dez anos, o vencedor do Ballon d’Or também foi escolhido o Melhor Jogador do Mundo pela Fifa. Kaká também foi escolhido o Jogador do Ano, neste mês, pela revista britânica World Soccer, com o voto de torcedores de 48 países.

Além disso, ele também foi eleito pela Uefa Jogador de Clube do Ano, Melhor Atacante da Liga dos Campeões e Artilheiro da Liga dos Campeões, além de Jogador do Ano pela Associação dos Jogadores Profissionais, voto dado por seus colegas.

Kaká comentou modestamente que o grande número de homenagens que recebeu este ano deve-se principalmente ao sucesso de seu clube na Liga dos Campeões, declarando à France Football após receber o Ballon d’Or: “Esse é o segredo. Você tem que jogar numa equipe vencedora.”

O prêmio de segunda-feira também oferece aos técnicos das seleções nacionais a oportunidade de provar sua habilidade em identificar o melhor jogador, já que a Fifa divulga o voto de cada um deles imediatamente após a premiação.

O ex-técnico da Inglaterra, Steve McClaren, foi o único treinador a escolher os três melhores jogadores na ordem correta no ano passado, e poderá tentar a sorte novamente na segunda.

As cédulas de votação foram enviadas a vários técnicos antes de McClaren ter sido demitido do cargo de treinador da Inglaterra e a Fifa confirmou que seu voto foi entregue antes de sua demissão.

Milan diz que Kaká doará prêmio de R$ 333 mil

O vice-presidente do Milan, Adriano Galliani, disse que o brasileiro Kaká irá doar o prêmio de melhor jogador da decisão do Mundial de Clubes, conquistado pelo clube italiano neste domingo ao bater o Boca Juniors por 4 a 2, no Japão.

Os 21 milhões de yens (cerca de R$ 333 mil) do prêmio oferecido pela Toyota serão revertidos à Fundação Milan e ao projeto do Holy Family Hospital de Nazaré.

O jogador foi eleito o melhor da partida e da competição. O camisa 22 marcou um gol e deu passe para os dois gols do atacante Inzaghi na decisão.

Fonte: Reuters