Integrantes da Banda Resgate, que lançou recentemente o CD “Este Lado Para Cima”, concederam uma entrevista ao site Guiame, onde falaram sobre o novo trabalho e também sobre a situação atual da música gospel no país.

Sobre o nome do novo álbum, eles disseram que inicialmente não existia nenhum significado, mas que com o tempo e com o surgimento das composições esse nome acabou se alinhando com o trabalho realizado por eles.

– Lembramos das embalagens que vêm escrito isso e achamos interessante, mas aí foi ganhando significado com as músicas que falam do dia a dia cristão (…) A gente procura trazer tudo para que Cristo esteja no centro. Nosso lado tem que estar voltar para cima e não para as coisas da terra. As pessoas estão muito preocupadas com a vida aqui e pouco preocupadas com a eternidade. – explicou o vocalista Zé Bruno.

[img align=left width=300]http://musica.gospelmais.com.br/files/2012/10/Banda_Resgate_Este_lado_para_cima-220×219.jpg[/img]Conhecidos por um estilo irreverente e que acaba destoando na música gospel que se encontra normalmente no mercado brasileiro, os integrantes da Banda Resgate falaram também sobre a forma que usam para passar a mensagem do evangelho, e afirmaram que a música evangélica atual está “chata e repetitiva”.

– Você pode falar do amor do Deus para que as pessoas que não são da igreja possam entender. Isso se chama língua portuguesa / inteligência / cuidado. Dá para falar das coisas com humor, dá para brincar, não precisar ser só ‘Santo Santo’ – afirmou o baixista Marcelo Amorim.

– A música evangélica está chata e repetitiva, é Ctrl C + Ctrl V. Ninguém reflete, ninguém pensa em nada – completou Zé Bruno, que afirmou ainda: – Se você pega a Bíblia, põe no português atual e acerta a rima já fica legal. Aliás, tudo o que a gente fala está na Bíblia, tirando alguma coisa ou outra (risos).

Zé Bruno falou ainda da atual situação do mercado da música gospel no Brasil que, segundo ele, é responsável pela queda da qualidade musical presente no meio. Ele afirma ainda que o motivo disse é foco que tal mercado tem tido em apenas vender.

– Ele (mercado) é a ferida e o remédio. Para ter sucesso na carreira artística você tem que vender bastante, para vender bastante você tem que cantar o que todo mundo canta. O que nós chamávamos de ministério ou vocação se tornou em uma vã repetição do que funcionou para alguém – declarou o líder da Banda Resgate, que disse ainda que “a música cristã explodiu em quantidade, mas caiu em qualidade”.

[b]Fonte: Gospel+[/b]