O grupo religioso American Family Association defende o apedrejamento até à morte da orca ‘Tillikum’, atracção do parque aquático Sea World Orlando que provocou a morte por afogamento de uma tratadora na semana passada.

A American Family Association cita passagens da Bíblia que indicam a morte por apedrejamento como castigo para animais que matem humanos, sem que a sua carne seja ingerida por alguém.

No entanto, o grupo religioso estende a pena capital ao coordenador dos animais do Sea World Orlando, Chuck Thompson, visto que se lê nas Escrituras que uma segunda morte de humanos provocada por um animal estende a culpa ao seu proprietário.

A tratadora Dawn Brancheau, de 42 anos, foi a terceira pessoa cuja morte está associada ao animal de cinco toneladas. A primeira vítima foi um treinador, afogado noutro parque aquático em 1991, mas oito anos mais tarde um intruso que entrou despido no tanque do Sea World Orlando e foi encontrado sem vida teve o óbito explicado por hipotermia.

Fonte: GNotícias