Brad Pitt, aos 55, diz que se declarava ateu apenas para ser
Brad Pitt, aos 55, diz que se declarava ateu apenas para ser "rebelde" | Foto: Reuters

Depois de anos declarando-se publicamente um ateu, premiado ator e produtor de cinema Brad Pitt diz que estava apenas sendo “rebelde” quando continuou dizendo ao mundo que não acreditava em Deus.

“Oh, cara, eu já passei por tudo. Tipo, eu me apego à religião. Eu cresci com o cristianismo. Sempre questionou, mas funcionou às vezes. E então, quando fiquei sozinho, deixei completamente e me chamei de agnóstico. Tentei algumas coisas espirituais, mas não parecia certo. Então me chamei de ateu por um tempo, meio que sendo rebelde. Eu não estava realmente. Mas eu meio que me rotulei isso por um tempo. Parecia punk rock o suficiente. E então me vi voltando a acreditar apenas – odeio usar a palavra espiritualidade, mas apenas a crença de que todos estamos conectados ”, disse Pitt, 55 anos, em entrevista à edição de outubro da GQ.

Em uma entrevista de 2009 à Bild , quando perguntado se ele acreditava em Deus, Pitt, que foi criado em uma igreja Batista, respondeu: “Não, não, não!”

Quando pressionado sobre se sua alma é espiritual, ele disse: “Não, não, não! Eu sou provavelmente 20% ateu e 80% agnóstico. Eu não acho que alguém realmente saiba. Você descobrirá ou não quando chegar lá, até então não faz sentido pensar nisso. ”

Dois anos depois, em 2011, o ator de 55 anos contou a Extra como se sentia sufocado por sua religião.

“Fui educado a ouvir que as coisas eram do jeito de Deus, e quando as coisas não funcionavam, isso era chamado de plano de Deus. Tenho meus problemas com isso. Achei muito sufocante”, ele disse.

Foi esse sentimento sufocado, disse ele ao The Hollywood Reporter , que o levou a se afastar de sua tradição batista do sul.

“Eu cresci muito religioso e não tenho um ótimo relacionamento com a religião”, disse ele na época. “Eu oscilo entre agnosticismo e ateísmo.”

A discussão sobre a fé de Pitt ocorre quando ele promove um novo filme chamado “Ad Astra – Rumo às Estrelas”. No filme, a fé é apresentada como algo que muitas vezes pode ser uma distração do eu.

“Sim. Fuga. Um olhar para fora em vez de olhar para dentro. Olhando além, não vendo o que está bem na sua frente ”, disse Pitt.

O filme é sobre um homem que viaja pelo interior de um sistema solar sem lei para encontrar seu pai desaparecido – um cientista renegado que representa uma ameaça à humanidade.

Folha Gospel com informações de The Christian Post