O crime ocorreu porque o agressor, o imigrante brasileiro Jeremias Bins, de 30 anos sentia ciúme da devoção de sua mulher a uma igreja mórmon, disse a polícia.

O imigrante brasileiro Jeremias Bins, de 30 anos, assumiu no último sábado, 20, ser o responsável pelas mortes de sua mulher, a também brasileira Carla Souza, de 37 anos, e do filho dela, Caíque Souza, de 11. Os três moravam no mesmo apartamento na cidade de Framingham, em Massachusetts, Estados Unidos.

De acordo com a imprensa local, Bins disse às autoridades ter assinado a mulher por não concordar com o tempo que ela passava na igreja. Carla e Caíque – filho de seu primeiro casamento – freqüentavam a comunidade lusófona de uma igreja mormon da cidade.

Segundo o jornal The Boston Globe, a polícia encontrou Carla e Caíque semiconscientes e com ferimentos profundos na cabeça. Minutos antes de ser atingida, a mulher pediu ajuda para o serviço de emergência local, alegando que estava tendo problemas com seu marido.

Cerca de uma hora e meia após a chegada da polícia ao local do crime, Bins se entregou ao departamento de polícia do distrito de Framinghan com seu filho mais novo no colo. O menino, de 5 meses, passava bem, e foi entregue ao Serviço Social da cidade. Ainda de acordo com o Globe, Bins também trazia a arma do crime: um martelo.

Um outro jornal do estado, o Boston Herald, destaca que a única coisa que Bins falou ao se apresentar à polícia foi que estava arrependido. Ele foi preso sem direito a fiança, e terá que responder a duas acusações de homicídio. A corte local discutirá o caso no dia 29 de junho.

Ciúmes

Embora o motivo do crime não tenha sido confirmado pelas autoridades que investigam o caso, a polícia de Framighan destaca que o casal vinha se desentendendo sobre a devoção de Carla à religião.

Em entrevista ao Boston Globe, o presidente da Igreja Mormon de Boston, Maurice Hiers, afirmou que a comunidade religiosa já havia discutido sobre o casal.

“Ele achava que a mulher ficava muito tempo na igreja, e não concordava com isso”, disse Hiers. “A questão é que ele nunca deu a impressão de que agiria de uma forma tão horrível como essa.”

Um conhecido do casal também afirma que Bins não aparentava ser capaz de matar. “Ele não era uma pessoa agressiva, mas estava cada vez mais impaciente com a situação”, disse Fernando Dutra.

Segundo um vizinho do casal, no entanto, Bins costumava ameaçar a mulher e o enteado, segundo o Boston Herald. “Ele prometeu ao Caíque: ´vou matar sua mãe. Vou dar um jeito em vocês dois´”, disse a vizinha Fátima Cardoso.

Carla vivia nos EUA há seis anos, e Bins há três. O pai de Caíque, que vive na Grande Boston, foi notificado do incidente. A família de Carla também já foi avisada.

Comoção

O crime chocou todos que conheceram Carla e Caíque. Na escola em que o garoto estudava, os alunos da 6ª série receberam a notícia em uma solenidade antes da aula. Cada classe receberá apoio de um conselheiro.

Segundo a diretora da escola, Carla era uma mãe devota e Caíque um aluno especial. “Ele tinha muita vida dentro dele”, lamentou Judith Kelly.

Fonte: Estadão