Sacerdotes canadenses se manifestaram contra a decisão do bispo anglicano Peter Coffin de nomear como pastora da diocese de Ottawa uma mulher que admitiu ser lésbica.

Sacerdotes canadenses se manifestaram contra a decisão do bispo anglicano Peter Coffin de nomear como pastora da diocese de Ottawa uma mulher que admitiu ser lésbica.

Em sinal de protesto, uma igreja de Ottawa se nega a receber ordens da diocese e vários pastores assinaram um documento contra a decisão do bispo Coffin.

Os sacerdotes dissidentes afirmam que “o bispo renegou o espírito da moratória nacional da Igreja anglicana sobre os casais do mesmo sexo”.

A pastora lésbica Linda Privitera, é membro do clero secular da Igreja de São João O Evangelista de Ottawa.

O bispo Coffin reagiu aos protestos: “Não considero a homossexualidade um pecado. Posso ser chamado de liberal e heterodoxo, mas creio firmemente que o semelhante deva ser tratado com respeito e dignidade”.

“Amar alguém com fidelidade até que a morte separe o casal, é uma verdadeira benção que extrapola a orientação sexual”, concluiu Coffin.

Fonte: ANSA