Placa em vitrine de loja escrito "fechado" em inglês

O governador da Califórnia, Gavin Newsom, anunciou nesta segunda-feira (13) o fechamento de diversos tipos de estabelecimentos devido às novas altas nos casos de coronavírus e de internações por Covid-19. A medida se aplica também a Los Angeles, segunda maior cidade dos Estados Unidos.

Segundo o governador, os seguintes estabelecimentos deverão fechar as portas na Califórnia: Locais de culto, academias, escritórios de serviços não essenciais, serviços de estética, salões de beleza e barbearia e shoppings.

O governador twittou: “Como os casos # COVID19 e as hospitalizações continuam a aumentar, agora serão necessários 30 municípios para FECHAR OPERAÇÕES INTERNAS para academias, locais de culto, escritórios para setores não críticos, serviços de cuidados pessoais, salões de beleza e barbearias, shoppings . “

Somente nas últimas 24 horas, os sistemas de saúde californianos registraram 8 mil novos casos do novo coronavírus. Os registros da doença, inclusive, dobraram somente no último mês.

“Estamos vendo um aumento na disseminação do vírus, e é por isso que todos devemos reconhecer sobriamente que o COVID-19 não desaparecerá tão cedo até que haja uma vacina ou uma terapia eficaz”, disse Newsom.

Desde o início da pandemia, a Califórnia registra mais de 327 mil casos de novo coronavírus, e a Covid-19 matou mais de 7 mil pessoas no estado até esta segunda-feira.

Os Estados Unidos são o país mais afetados pelo novo coronavírus, em números absolutos, com mais de 3 milhões de casos e 135 mil mortes por Covid-19. O primeiro grande surto nos EUA ocorreu em Nova York, que, após um intenso isolamento social conseguiu reverter o quadro — e registrou neste fim de semana o primeiro dia sem mortes causadas pela doença desde o início da pandemia.

Folha Gospel com informações de G1 e CBN News