Grande Templo, sede da Igreja Evangélica Assembleia de Deus do Estado do Mato Grosso, tem capacidade para abrigar 22 mil pessoas sentadas
Grande Templo, sede da Igreja Evangélica Assembleia de Deus do Estado do Mato Grosso, tem capacidade para abrigar 22 mil pessoas sentadas

Com as mortes dos pastores Sebastião Rodrigues e seu filho Rubens Ciro, presidente e vice da Convenção Estadual da Igreja Evangélica Assembléia de Deus (Comademat), respectivamente, iniciou-se uma disputa pela liderança.

A disputa seria entre a cúpula do Estado, formada por 12 pastores de diferentes municípios que compõem a Diretoria Estadual da Igreja. Eles querem que o filho do pastor Sebastião assuma o cargo, informa o site Olhar Jurídico.

Do outro lado estão os pastores de Cuiabá que não aceitam e alegam que ele não preenche os requisitos básicos ligados a doutrina da Igreja, para um líder religioso.

O tesoureiro Gutemberg Brito Junior entrou com pedido na Justiça para que o pastor Enesio assumisse a administração. No pedido, é argumentado que a atual conjuntura do país exige que sejam tomadas várias medidas, de forma até mesmo urgente, para que os negócios sociais não sofram de maneira irreparável, o que, em último caso, poderá impossibilitar a continuidade das atividades da pessoa jurídica.

Uma liminar pede que o pastor Enesio Barreto Rondon assuma o cargo de administrador provisório até que transcorra todos os trâmites internos e demais formalidades legais.

Além disso, em perigo de demora, a falta de administrador poderia ocasionar um bloqueio das contas bancárias da Igreja e suspensão do cadastro junto à Receita Federal, situações que produziria “danos irreparáveis a organização religiosa”.

“Sem a nomeação de administrador provisório, e aguardando-se o costumeiro desenrolar da presente demanda, ao fim e ao cabo, poderá ser que a Igreja sequer tenha condições financeiras e administrativas de continuar suas atividades”, diz trecho do pedido feito pelo advogado Maury Borges da Silva nesta segunda-feira (13).

Contudo, a juíza em substituição da 9ِº Vara Civil de Cuiabá, Sinii Savana Bosse, pediu que o pastor Enesio comprove a aceitação ao cargo, já que no pedido não consta narrativa autoral.

“Posto isso, e sem mais delongas, determino que o autora, no prazo de 15 dias, proceda a emenda a petição inicial, afim de que comprove nos autos o aceite/anuência indicada, munidos das documentações pessoais necessárias, sob pena do seu indeferimento”, determinou.

Procurado, o novo presidente Estadual da Igreja, pastor João de França esclareceu que Enesio irá ficar no cargo de interino até novas eleições. E que o filho de Sebastião, Silas Paulo, foi indicado, mas deverá ser submetido a uma votação. “Ele foi indicado, mas tem que se submeter a uma votação. Então o Enesio não está disputando a presidência, mas está como interino até que ocorra o prazo para assembleia geral”, disse.

O pastor Sebastião Rodrigues de Souza, antigo presidente da Convenção Estadual das Assembleia de Deus do Estado de Mato Grosso e Vice-presidente da Convenção Geral das Assembleias de Deus do Brasil, morreu no dia 8 deste mês em decorrência do coronavírus. Seu filho, Rubens Siro de Souza, vice-presidente da Codemat, também morreu vítima da mesma doença no dia 3.

Fonte: O Nortão