Paula, vencedora do Big Brother Brasil em 2019
Paula, vencedora do Big Brother Brasil em 2019

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) arquivou o inquérito contra Paula Sperling, vencedora do BBB19, que foi indiciada por intolerância religiosa em razão de comentários feitos no reality show da Globo a respeito de Rodrigo França.

A bacharel em direito comemorou a decisão por meio de suas redes sociais.

“Eu nunca havia me pronunciado acerca de tal assunto por aqui, mas hoje, para encerrar de vez este ciclo de muito aprendizado, venho contar a vocês que o único inquérito instaurado referente a minha participação no programa foi arquivado”, disse ela.

Em longo comunicado, a ex-BBB afirmou: “Meu coração está cheio de alegria, pois quem me conhece sabe que nunca houve a intenção de ofensa em relação a nenhum integrante de reality ou sobre qualquer religião. Isso não é e nunca será da minha índole”.

Após deixar o programa, a vencedora do BBB prestou depoimento na Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi).

Entenda o caso

Em conversa realizada no dia 6 de fevereiro, Paula fez uma série de comentários que foram considerados preconceituosos por vários internautas.

Em papo com Diego e Hariany, ela disse ter medo de Rodrigo por ele ter contato “com esse negócio de Oxum” e garantiu: “Nosso Deus é mais forte”.

Em entrevista dada ao UOL, a advogada Mônica von Sperling, irmã de Paula, disse na época que a família estaria preparada para uma eventual denúncia de Rodrigo.

“É um direito dele, se por algum motivo se sentiu ofendido. Fico chateada apenas por conhecer a Paulinha e saber que ela jamais agiu ou agiria com o intuito de ofender alguém”, disse Mônica.

Fonte: UOL