Nesta terça-feira, 2 de março, um tribunal paquistanês condenou um casal cristão a 25 anos de prisão por sujar o Alcorão.

De acordo com o Centro de ajuda legal, assistência e assentamento (CLAAS), Munir Masih e Ruqqiya Bibi foram acusados de tocar o Alcorão sem lavar as mãos.

A acusação de blasfêmia foi registrada contra Ruqqiya Bibi e seu marido Munir Masih no dia 19 de dezembro de 2008, sob a seção 295-B do Código Penal do Paquistão, na delegacia de Mustafabad, em Kasur.

Nasir Saeed, diretor do CLAAS, disse que o casal teve direito à fiança, mas os extremistas muçulmanos pressionaram a polícia a envolver o casal em uma acusação de blasfêmia contra Maomé, o que pode levar à pena de morte.

Novamente, o casal conseguiu o direito à fiança.

A última audiência sobre o caso aconteceu no dia 18 de fevereiro de 2010.

O advogado do casal, Tahir Gul Sadiq, relatou que Ruqqiya Bibi e Munir Masih foram condenados pelo juiz Ajmal Hussein a 25 anos de prisão.

Ele conta que a polícia levou Ruqqiya Bibi e seu marido Munir Masih do tribunal, e depois enviou Masih para a prisão de Kasur e Ruqqiya para a Prisão Feminina de Multan.

“Estamos muito tristes com a maneira como tudo terminou, e o CLAAS vai apelar da decisão do tribunal, em favor de Ruqqiya Bibi e seu marido Munir Masih.”

Fonte: Missão Portas Abertas