Investigada pela Promotoria da Cidadania por ter nomeado oito funcionários fantasmas para a Assembléia Legislativa de São Paulo, a Igreja Renascer em Cristo também manteve em seus quadros um policial civil que, apesar de receber salário dos cofres públicos, trabalhou por quatro anos em período integral fazendo a segurança privada dos fundadores da denominação.

Nascido em Taiwan em 1968, Shieh Huei Che foi nomeado investigador de polícia no 29º Distrito Policial, na Vila Prudente, com salário-base de R$ 1.800. Em janeiro, foi transferido para a 5ª Seccional e, em março – quando veio à tona a nomeação de funcionários que recebiam sem trabalhar no gabinete do deputado estadual Bispo Gê, ligado à igreja -, Che passou a ser visto cumprindo expediente no Departamento de Polícia Judiciária da Capital (Decap).

Continua, no entanto, fazendo segurança para a igreja e utilizando para isso uma arma cedida pelo Estado para seus agentes. A pedido dos líderes da Renascer, Che também é responsável pela escolta da família do jogador Kaká, seu mais famoso fiel. Costuma fazer o receptivo do jogador quando ele vem ao Brasil. Chegou a dirigir o carro no dia do casamento do jogador e fica à disposição de sua esposa, Carol, quando ela está em São Paulo.

Só nas folgas

A Igreja Renascer afirmou, por meio de sua secretaria, que Che faz a segurança dos Hernandes e de sua família, mas apenas em dias de folga – uma atividade que não é proibida por lei. O trabalho, ainda segundo informa a denominação por meio de sua assessoria, é feito sem remuneração. De acordo com a igreja, o policial é um fiel fervoroso da igreja e “ministro de apoio” – ou seja, dirige carros e faz a escolta pessoal de seus líderes sem receber nada em troca.

A Secretaria de Segurança Pública afirmou apenas que o policial “sempre trabalhou”. A reportagem do Estado, no entanto, esteve no prédio onde os líderes da Renascer moram, na Chácara Klabin, e no Colégio Objetivo, onde o filho adotivo do casal Hernandes, Gabriel, estuda. Funcionários desses lugares referem-se ao policial como “o China” e confirmam que até março ele atuava diariamente na escolta dos Hernandes e de seus filhos.

Cinco pessoas ligadas à igreja também confirmaram a atuação diária de Che na igreja. Duas delas chegaram a fazer viagens para outros Estados em companhia do casal Hernandes – com escolta de Che.

A atuação de Shieh Huei Che chamou a atenção dos promotores do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) no final de março, quando fiscais da prefeitura de Atibaia lacraram o haras Agropastoril Reobot, que pertence aos Hernandes, porque a propriedade funcionava como estabelecimento comercial sem pagar os impostos devidos e sem autorização da vigilância sanitária.

Durante a fiscalização, funcionários da prefeitura e policiais militares que faziam a escolta foram recebidos por Che, que se identificou como policial amigo da família Hernandes e deu o endereço do Decap. Passou, a partir de então, a ser também investigado pelo Ministério Público.

Julgamento nos EUA

O julgamento do casal Hernandes nos Estados Unidos será iniciado entre segunda-feira e 15 de maio. Os fundadores da Renascer entraram no país no dia 9 de janeiro com US$ 56,5 mil escondidos na bagagem, inclusive dentro de uma Bíblia, tendo declarado apenas US$ 10 mil na alfândega. Eles também são acusados pelo Ministério Público no Brasil de estelionato, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e sonegação.

Fonte: Estadão