Provavelmente esse é daqueles filmes que não vão chegar aos cinemas brasileiros e nem mesmo no formato DVD vai fazer muito sucesso. Mas, mesmo assim achei que valeria a pena dar algum espaço aqui na coluna.

“Expelled – No Intelligence Allowed”, nem tem título em português ainda e muito menos data marcada para chegar ao Brasil. Mas por aqui, nos EUA, tem causado grande barulho e gerado bastante polêmica.

Na verdade trata-se de um documentário, produzido por Ben Stein ( aquele professor sonolento de “Curtindo a Vida Adoidado”), sobre a chamada teoria do “Intelligent Design”, surgida há pouco tempo, que tenta provar cientificamente que há uma inteligência superior por trás do surgimento do universo.

Os cientistas agnósticos e ateus argumentam que a teoria do “inteligent design” na verdade não passa de um criacionismo disfarçado e lutam ferrenhamente para proibir o ensino dessa teoria nas escolas públicas e universidades americanas. Para estes a teoria da evolução é uma verdade inquestionável e qualquer coisa que não venha ao seu encontro deve ser descartada de imediato.

O filme mostra como alguns cientistas e professores de renome e formação inquestionável se opuseram a este quadro e tentaram desafiar a comunidade científica apontando falhas na evolução e considerando o “inteligent deseign” como opção válida.

Vários deles foram demitidos ou tiveram suas carreiras bastante prejudicadas por conta de suas posições ideológicas. O filme tenta mostrar um complô para calar a voz dos que defendem o criacionismo ou pelo menos que uma força suprema existe e foi determinante no processo da criação.

Os defensores do “Inteligent design” argumentam que a teoria não é necessariamente ligada à religião, pois essa tal “inteligência” poderia ser uma civilização alienígena ou coisa parecida. Mas os evolucionistas não aceitam esse argumento de jeito nenhum e muitos ridicularizam essa teoria

Ateus famosos como Richard Dawkins, por exemplo, são entrevistados e confrontados por Ben Stein e seu humor fleumático. O resultado é muito interessante. Certamente não é um daqueles filmes pra você reunir a galera e encomendar duas pizzas calabresa pra curtir num sábado à noite, mas certamente vale a pena dar uma olhada.

Fica muito claro nas entrevistas que a teoria da evolução está longe de ser unanimidade e ainda tem muitos furos e elos perdidos. É um lado da moeda que ninguém mostra no Brasil, que tem um ensino cada vez mais secularizado. Nós fomos todos educados a engolir Darwin como fato consumado, e a não dar ouvidos a mais nada.

Os cientistas que defendem o “inteligent design”, são altamente respeitados internacionalmente e alguns deles nem mesmo são cristãos. O filme mostra que a questão é muito mais ideológica do que científica. Grupos ateus tentaram boicotar o filme de várias formas mas sem grande resultado. Não se trata de nenhum filme panfletário, mas apenas um bom documentário que pode fomentar discussões bastante válidas.

Um abraço,

Leon Neto