Após o sucesso de “Chico Xavier”, a comunidade espírita do Brasil comemora agora o lançamento de mais um filme de mensagem claramente espírita. E dessa vez com um orçamento milionário para os padrões brasileiros.

O filme “Nosso Lar” é totalmente baseado em obra do médium Chico Xavier e consumiu astronômicos 20 milhões de dólares, no que muitos afirmam ser a obra cinematográfica mais cara do cinema brasileiro até o momento.

Pelo trailer fica difícil saber onde eles gastaram tanto dinheiro; o visual ficou meio que uma mistura de novela mexicana com filme do Zé do Caixão. Talvez boa parte da grana tenha ido para os bolsos do compositor Pillip Glass que assina a trilha sonora do filme, mas Glass poderia ter caprichado um pouquinho mais. A trilha ficou bem burocrática e lugar-comum.

Mas, como ainda não vi o filme, não vou me arvorar em fazer qualquer critica mais detalhada. O que achei interessante foi esse recente investimento no filão espírita. Elementos do espiritismo não são novidade no cinema mundial. Basta lembrar de “Ghost”, aquele filme água-com-açúcar com Demi Moore e o finado Patrick Swayze ou mesmo comédias como “O Céu Pode Esperar” com Warren Beatty. Alias, o cinema americano adora esses filmes onde o personagem principal morre e depois volta para se redimir dos erros do passado.

No cinema brasileiro entretanto, o fenômeno é mais recente e de uma forma bem mais explicita do que nos filmes americanos. Visivelmente “Chico Xavier” e “Nosso Lar” tem a intenção de divulgar os princípios da doutrina espírita. Não há sutilezas ou camuflagens em suas mensagens; é proselitismo puro. E até aí, nada contra, afinal todas as religiões tem o direito de divulgar suas crenças como bem entenderem. Nós evangélicos, temos inclusive feito o mesmo com filmes como “Desafiando Os Gigantes” e “Prova de Fogo”.

O recente investimento de milhões de dólares no citado filão deixa claro que a mídia brasileira sempre teve um pé no espiritismo. A RGT vez por outra sempre dá um jeito de encaixar uma trama espírita em suas novelas e visivelmente jornais e revistas destacam eventos espíritas com mais simpatia do que os de outras religiões. Dessa vez fiquei impressionado em ver como a comunidade espírita no Brasil está reagindo com fúria diante das criticas à “Nosso Lar”, que não são poucas, por sinal. Os pobres dos críticos de cinema e jornalistas estão sendo vitimas de violentos ataques verbais por conta dos adeptos do espiritismo que se revoltam diante dos mínimos comentários negativos em relação ao filme. Não deixa de ser um tanto contraditório para quem fala tanto de amor e compaixão…

A nós, Cristãos cabe filtrar bem ao que estamos assistindo seja no cinema ou na televisão para que não sejamos influenciados por essa doutrina cômoda e sedutora. Falar com entes queridos já falecidos, fazer boas obras, promover a caridade e prever o futuro parece tudo muito bonito à principio, mas o problema é que o espiritismo é absolutamente incompatível com a fé Cristã. Os livros e filmes espíritas vivem falando de Deus e de Jesus Cristo, mas demonstram não saber absolutamente nada sobre a Bíblia. Colocam ênfase na reencarnação e nas boas obras, mas nós bem sabemos que a salvação vem pela fé e que Jesus é o único caminho para Deus.

Mas se obras sociais são assim tão importantes para a doutrina espírita, bem que os 20 milhões gastos em “Nosso Lar” poderiam ter tido um destino bem mais nobre, não acham?

Um abraço,

Leon Neto