Os dois principais nomes da Assembléias de Deus no Brasil, pastor José Wellington Bezerra da Costa (foto), líder do Ministério da AD no Belenzinho (SP), e o pastor Samuel Câmara, líder da AD em Belém do Pará, disputaram voto a voto este que foi o 38º pleito da história da instituição.

Há muitos anos que não se via uma disputa tão acirrada pela cadeira de presidente da Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil.

O evento aconteceu entre os dias 17 a 20 de abril, no Palácio de Convenções Anhembi, na capital paulista, com a presença de 9.370 ministros com direito a voto. No entanto, nem todos conseguiram contribuir com o resultado final. Isso porque em meio às votações, ocorreu um erro de programação nas urnas eletrônicas, que levou à suspensão do uso das mesmas e à utilização do sistema de votação tradicional, em papel.

Diante desta situação e com um grande atraso para resolver o problema, muitos ministros, que já estavam com vôos marcados, tiveram que deixar a Convenção sem contribuir com o voto. A sessão de votos era para ter acontecido das 10h às 17h do dia 19/04. No entanto, se estendeu até às 22h30, devido às longas filas que se formaram. Com isso, 1,8 mil convencionais deixaram o evento. Apenas 7,5 mil ministros conseguiram votar. A disputa terminou com 3.919 votos (52,3%) para José Wellington e 3.561 votos (47,6%) para o pastor Samuel Câmara.

Além disso, dos treze cargos da Mesa Diretora, dez ficaram com candidatos da chapa do pastor José Wellington e três com candidatos da chapa do pastor Samuel Câmara (2o secretário e 1o e 2o tesoureiros). Dos cinco novos membros do Conselho Fiscal eleitos no mesmo pleito, três foram apoiados pelo pastor José Wellington e dois foram apoiados pelo pastor Samuel Câmara.

A movimentação durante o evento foi grande, todas as dependências do Palácio de Convenções do Anhembi foram utilizadas. O principal auditório, o Celso Furtado, com capacidade para quase 2,8 mil pessoas sentadas, recebeu, segundo o Corpo de Bombeiros de São Paulo, 5 mil pessoas. O Auditório Elis Regina também, com capacidade para mil pessoas, ficou superlotado. Lá foi instalado um telão onde os convencionais podiam assistir às plenárias. Dois telões foram instalados no auditório principal, onde, pelo sistema de vídeo conferência, os convencionais no Auditório Elis Regina podiam se manifestar, participando dos debates no Celso Furtado.

Nos cultos à noite, telões de plasma do lado de fora dos auditórios transmitiam os cultos para as centenas de pessoas que não puderam entrar. Os salões que circundam o auditório principal foram usados para votação, no dia da eleição, ou para reuniões de convenções regionais ou da mesa diretora.

A nova Mesa Diretora da CGADB é composta dos pastores José Wellington Bezerra da Costa (SP), presidente; José Antônio dos Santos (AL), 1o vice-presidente; Temóteo Ramos de Oliveira (RJ), 2o vice-presidente; Ubiratan Batista Job (RS), 3o vice-presidente; Sebastião Rodrigues de Souza (MT), 4o vice-presidente; Gilberto Marques (PA), 5o vice-presidente; Virgínio José de Carvalho Neto (SE), 1o secretário; Josias Almeida Silva (SP), 2o secretário; Israel Sodré (PR), 3o secretário; Orcival Xavier (DF), 4o secretário; Lucifrancis Tavares (AP), 5o secretário; Jonas Francisco de Paula (RJ), 1o tesoureiro; Silas Lima Malafaia (RJ), 2o tesoureiro.

O pastor José Wellington Bezerra da Costa já está à frente da CGADB há 19 anos.

Fonte: Elnet