Igreja demolida pelo Partido Comunista Ateu da China
Igreja demolida pelo Partido Comunista Ateu da China

Cristãos estão clamando contra a contínua destruição de igrejas na China provocada pelo governo.

Duas grandes igrejas, uma na diocese de Jinan e outra na província de Shandong, já foram reduzidas a escombros neste ano em meio à repressão à fé. Fontes dizem que a Igreja Católica Wangcun pode ser a próxima a ser demolida.

A destruição da Igreja Católica Liangwang no início de julho se tornou notícia internacional com fotos e vídeos postados online. Um membro da igreja, que não quis se identificar, juntou-se a outros em protesto contra as ruínas em 23 de julho, onde ele condenou o que as autoridades estavam fazendo.

“Você pode imaginar a dor e a tristeza quando você assiste a sua sepultura ancestral sendo escavada e os ossos de seus ancestrais se transformando em cinzas?” perguntou o membro da igreja.

“É necessário que o governo faça isso? Os membros da Igreja só querem ter uma pequena área para construir uma pequena igreja nova na vizinhança sem afetar o desenvolvimento.”

Autoridades afirmam que as igrejas, incluindo a Igreja Católica Shilihe do começo do ano, foram demolidas por causa dos planos do distrito de construir novos edifícios e infra-estrutura.

Os membros da igreja insistiram que as igrejas estavam todas registradas na administração religiosa, e que elas tinham a propriedade das casas de adoração.

Grupos de vigilância, como a International Christian Concern (ICC), criticaram a China pela repressão. O ICC apontou que há uma razão específica pela qual os funcionários usaram até 70 trabalhadores na destruição da Igreja Católica Liangwang no mês passado.

“A mão de obra desproporcional usada para demolir esta igreja mostra que a China teme os cristãos. O governo sabia que a demolição em nome do zoneamento urbano seria enfrentada com resistência, por isso garantiu o sucesso tomando medidas extremas”, disse o ICC Regional..

“Apesar de seus melhores esforços para intimidar a Igreja com ações como essa, o governo não pode destruir a fé e a resiliência dos cristãos chineses”, acrescentou.

O padre de Liangwang reclamou às autoridades após a destruição da igreja, informou a UCANews, mas não recebeu resposta.

Outro membro da igreja disse: “Os bancos, altares e caixas de dedicação foram todos pressionados nas ruínas. As ruínas mais tarde se tornaram um incêndio e todos os itens foram queimados”.

Outros locais sagrados cristãos que foram destruídos recentemente incluem o principal local de peregrinação da Via Sacra na província de Henan, onde oficiais comunistas também removeram imagens de Jesus Cristo.

“Escavadeiras e picapes foram levadas para o local à noite porque as autoridades temiam que houvesse muitos membros da igreja durante o dia”, disse uma fonte à UCANews sobre a destruição em 5 de junho.

Fonte: The Christian Post