Pastores Randall Reece (à esquerda) e Jason Goins (à direita). (Foto: Captura de tela/Fox8)
Pastores Randall Reece (à esquerda) e Jason Goins (à direita). (Foto: Captura de tela/Fox8)

Com a queda no número de pessoas que se identificam como cristãs nos Estados Unidos e a contínua pandemia de Covid-19, algumas igrejas têm visto a frequência de membros e doação de dízimos diminuírem de forma drástica.

Duas igrejas evangélicas da Carolina do Norte anunciaram sua fusão domingo (9), em uma tentativa de sobreviver à pandemia.

Os pastores da Hope Church, na cidade de High Point e da Renaissance Church, na cidade de Jamestown (situadas a apenas 11 km de distância), explicaram à Fox 8 que sua decisão foi tomada para manter os ministérios vivos. Eles esperam que outras igrejas em dificuldade sejam inspiradas por suas ações.

“Tínhamos um grande prédio com uma grande hipoteca e tínhamos contas a pagar”, disse o pastor Randall Reece, que fundou a Hope Church em 2003. “Então, passando de uma igreja de 350 membros para uma igreja de 80, a perda de receita foi significativa. E mesmo na congregação de 80, alguns dos que estavam doando regularmente realmente tiveram que parar, porque foram impactados pela Covid também.”

Falando ao The Christian Post, Reece disse que “faz sentido” as igrejas que lutam com os custos da pandemia se fundirem.

“Essas igrejas podem ficar sozinhas e lutar ou unir suas forças e sair da pandemia, a partir de uma posição de força. Assim se espera, elas se tornarão um modelo”, disse ele.

O pastor Jason Goins, que fundou a Renaissance Church em 2008, espera que sua amizade com Randall Reece ajude na fusão.

“Randall e eu somos grandes amigos. Ele é como um pai espiritual para mim. Ele me envolveu no ministério. É necessária essa relação de equidade”, disse ele. “Esta é uma oportunidade para algo grande sair de um período de trevas para todos nós.”

Desafio para igrejas

O pastor Goins reconhece que a ideia de unir igrejas pode ser difícil para algumas congregações. Ele observou que, embora a Renaissance Church não estivesse em uma posição tão difícil quanto a Hope Church, eles também enfrentaram dificuldades.

“Diminuímos cerca de 150 pessoas, mas as pessoas com quem ficamos estão empolgadas”, detalhou Goins. “Estamos reunindo dois grupos de duas congregações cheias de energia”.

O primeiro aconteceu às 10 horas da manhã de domingo na Rennaissance Church em Jamestown.

Crise provocada pela pandemia

Uma pesquisa da Gallup divulgada em 2021 apontou que menos de 50% dos americanos pertencem a uma igreja pela primeira vez em 80 anos. Em 1937, 70% dos americanos eram membros formais de uma igreja.

Além disso, 45% dos adultos nos EUA dizem que oram diariamente, uma queda de 13% em relação a 2007, informou o Pew Research Center em 2021. Em 2014, o percentual de americanos orando todos os dias era de 55%.

De acordo com o último relatório publicado pela Pew Research, apenas 63% dos cidadãos americanos se identificam como cristãos, 10% menos do que em 2011 (73%). Em 2007, o número era próximo a oito em cada dez (78%).

Em contrapartida, é o grupo dos “não” (ateus, agnósticos ou “nada em particular”) que cresce, de 16% em 2007 para 29% agora.

No mês passado, uma Igreja Presbiteriana de 221 anos em Bellefonte, na Pensilvânia, fechou permanentemente suas portas na véspera de Natal devido ao declínio de membros e frequência.

A Potter’s House de Denver anunciou no mês passado planos para vender sua megaigreja de US$ 12,2 milhões no Condado de Arapahoe, em Colorado, e se tornar completamente virtual, em meio ao declínio de doações.

Fonte: Guia-me com informações de The Christian Post


Comentários