Protesto de mulher nua em frente a uma Igreja Católica em Teresina (PI), gerou repúdio de entidades.
Protesto de mulher nua em frente a uma Igreja Católica em Teresina (PI), gerou repúdio de entidades.

Várias manifestações contra o presidente Jair Bolsonaro, ocorreram neste sábado (29), em diversas capitais do Brasil. Porém, uma que chamou a atenção, foi a de Teresina, capital do Piauí.

Neste protesto, uma mulher que teve os pés e as mãos amarrados, foi posta despida em cima de uma mesa em frente à Igreja São Benedito, no centro da Capital.

A Arquidiocese de Teresina divulgou neste domingo (30), uma nota repudiando o ato. A nota afirma que Igreja apoia e defende a liberdade de expressão, porém, que deve haver limites éticos, legais e morais.

“A Igreja apoia e defende a liberdade de expressão, mas o direito de se expressar não significa dizer que não haja imposição de limites éticos, morais e legais. A comunidade católica sente-se ofendida e triste com este ato de desrespeito”, disse em trecho de nota.

A Comissão de Liberdade Religiosa da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Secção Piauí, divulgou uma nota repudiando ato que ocorreu, nesse sábado (29), em frente à igreja São Benedito, no centro de Teresina, contra o governo do presidente Jair Bolsonaro.

A OAB Piauí repudiou o ato realizado em Teresina, e se solidarizou com os religiosos e mulheres que tenham se sentido ofendidos pela ação. “Essa Comissão solidariza-se com a Igreja Católica e com todas as mulheres piauienses, e sempre será contrária às práticas abomináveis de ódio religioso e de menoscabo ao sexo feminino, enfileirando-se em defesa dos direitos constitucionalmente resguardados”, disse em trecho da nota.

Segundo a Comissão, a manifestação é inaceitável e fere a qualquer crença religiosa, além de menosprezar o sexo feminino.

Fonte: GP1