Naomi Scott no set de filmagem do filme
Naomi Scott no set de filmagem do filme "Aladdin" da Disney, maio de 2019 (Youtube / Screenshot)

Naomi Scott, a estrela da nova versão de “Aladdin”, da Disney, diz que não saberia o que fazer da vida sem sua forte fé cristã.

Scott, a princesa Jasmine no remake do filme da Disney, disse em um blog que ela escreveu para o programa cristão Compassion International, depois de visitar Ruanda e Etiópia com sua igreja através da organização, que é frequentemente questionada sobre como ela gerencia sua fé e a sua carreira.

“Meu marido e eu estávamos falando sobre isso ontem. Às vezes nos perguntam: “Como você concilia sua fé e o que faz?” Mas para mim, não sei como faria sem a minha fé”

“Essa paz quando você sabe que é amada e valorizada é algo que me mantém incrivelmente firme, incrivelmente focada. Honestamente, eu não vejo isso como algo separado. Minha fé é apenas uma parte de quem eu sou e o que faço”, declarou Scott.

Scott, de 26 anos, é descendente meio-britânica e meio indiana e está em vias de se tornar uma superstar após o sucesso do filme “Aladdin”. 

O que muitos de seus fãs estão aprendendo agora sobre a atriz é que ela cresceu como filha de um pregador e seus pais continuam a ser pastores na The Bridge Church no nordeste de Londres.

A atriz, que estrela ao lado de Will Smith e Mena Massoud em “Aladdin”, disse que está comovida pela “graça de Deus”.

“A vida é incrivelmente excitante, no momento, há muita coisa acontecendo. Nós apenas pensamos wow, é a graça de Deus”, escreveu em seu blog para Compassion International.

Durante a turnê de sua igreja com Compassion, Scott visitou Ruanda para ver em primeira mão como a organização sem fins lucrativos Child Survival Projects mudou a vida das mulheres.

“Eu tenho trabalhado com essa instituição de caridade há anos e amo a sua abordagem, trabalhando com as comunidades e famílias para capacitar a próxima geração para quebrar o ciclo vicioso da pobreza”, Scott compartilhou.

Compassion’s, Child Survival Projects trabalha com as comunidades locais para ajudar as mães vulneráveis, atendendo às suas “necessidades práticas e médicas”, ao mesmo tempo que estabelece comunidades de mulheres que se apóiam “emocionalmente e criam um ambiente onde se sentem amadas e valorizadas”.

Scott também mencionou sua fé cristã em 2017, quando postou um tweet sobre o destino dos cristãos que estão sendo perseguidos em todo o mundo. 

“Tantos cristãos sendo alvejados no Egito e em outras áreas”, ela twittou . “Orando por todos os meus irmãos e irmãs ao redor do mundo que enfrentam perseguição”.

Folha Gospel com informações de The Christian Post