[img align=left width=300]http://www.brasil247.com/images/cache/1000×357/crop/images%7Ccms-image-000361501.jpg[/img]

A “Forbes”, revista americana de economia e negócios, divulgou nesta quarta-feira (4) a edição 2015 de seu ranking das pessoas mais poderosas no mundo. No topo, pelo terceiro ano consecutivo, está o presidente da Rússia, Vladimir Putin. Em segundo lugar na lista está a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, e em terceiro o presidente dos EUA, Barack Obama.

Fora do pódio, mas próximo da medalha de bronze, vem o papa Francisco, em quarto lugar. A presidente brasileira, Dilma Rousseff, aparece em 37º lugar na relação, logo abaixo do bilionário indiano Mukesh Ambani e logo acima do empresário sul-africano Elon Musk, dono da montadora de carros elétricos Tesla.

Merkel, a mulher mais poderosa do mundo, subiu do quinto lugar que ocupava no ranking, no ano passado, para o segundo devido às suas “ações decisivas” para lidar com a crise dos refugiados sírios e os problemas econômicos envolvendo a Grécia, diz a revista americana.

Recentemente, Merkel, [url=https://folhagospel.com/modules/news/article.php?storyid=31250]convidou os seus compatriotas a irem com mais frequência à igreja e a conhecerem melhor a bíblia[/url]. Ela participou de um debate público na Universidade de Berna, Suíça, no começo deste mês e, diante de uma pergunta sobre o risco de “islamização” da Europa, recordou que a melhor resposta é ter “a coragem de ser cristãos, de fomentar o diálogo (com os muçulmanos), de voltar à igreja, de se aprofundar de novo na bíblia”. Depois acrescentou, com pesar, que “se você perguntar a crianças em idade escolar o que é o Pentecostes, as respostas serão provavelmente muito decepcionantes”.

[b]Filha de pastor luterano[/b]

Angela Dorothea Merkel nasceu em Hamburgo no dia 17 de julho de 1954. É uma cientista e política alemã, desde 2005 chefe de governo de seu país (chanceler) e líder do partido União Democrata-Cristã (CDU) desde 2000.

Influenciada pelo seu pai, um pastor luterano, Merkel admitiu publicamente em 2012 acreditar em Deus, dizendo que a religião é a sua “companheira constante”. A chanceler disse ainda ser evangélica e que os cristãos “não devem ter qualquer problema em professar o seu credo”. Apesar de ser líder de um partido cristão, até esta data não se sabia muito sobre a religião da chanceler. O pai de Merkel, Horst Kasner, era pastor luterano e mudou-se para a Alemanha Democrática porque havia falta de líderes religiosos. Merkel tem uma irmã e um irmão.

Segundo a revista, os quatro quesitos para definir a lista são o poder sobre grande número de pessoas, o exercício ativo desse poder, os recursos financeiros controlados e o domínio sobre múltiplos setores.

[b]Fonte: Bem Paraná, Observador e Wikipédia[/b]