Bandeira de Cuba
Bandeira de Cuba

Membros de igrejas evangélicas se posicionaram contra o casamento gay em Cuba. Um cartaz na entrada da Igreja Metodista de Havana exibe a mensagem “Sou a favor do design original”. O protesto acontece diante da possibilidade do governo do país permitir a prática.

Os cristãos defendem que essa união deve ser exclusiva entre um homem e uma mulher.

“A proposta do casamento igualitário, produto da ideologia de gênero, é totalmente incompatível com a História, com os valores culturais e o pensamento dos pais de nossa pátria”, disse o pastor Lester Fernández, do púlpito.

Na semana passada, representantes de de 20 denominações evangélicas se encontraram em um dos salões do templo para debater o assunto.

“Se não nos unimos homem e mulher, de onde virá a família? Deus diz: “Homem para mulher e mulher para homem.” De onde procriação virá então? Seria o fim do mundo”, declarou a enfermeira aposentada Juana Rodríguez a uma agência de notícias.

As reuniões cidadãs para discutir a nova Constituição vão até 15 de novembro. Um texto final será preparado e submetido a referendo em fevereiro de 2019.

O presidente da Associação da Convenção Batista do Oeste de Cuba, Dariel Llanes Quintana, afirmou que se o conceito de casamento for modificado na Constituição, os evangélicos votarão contra todo o projeto. Segundo ele, há um milhão de fiéis, no país de 11 milhões de habitantes.

A Igreja Católica Cubana também rejeitou categoricamente o casamento entre pessoas do mesmo sexo e pediu “outros meios legais” para proteger essa união. Os líderes consideraram a mudança como um “colonialismo ideológico” imposto por nações poderosas.

Fonte: Pleno News