Manifestantes intolerantes escandalizaram fiéis católicos usando símbolos da igreja como objetos fálicos.

Com seios de fora, fantasias eróticas, beijos homossexuais e muita provocação aos católicos, a Marcha das Vadias desfilou na mesma faixa da avenida Atlântica em que, pouco depois, passaria o papamóvel –mas em sentido contrário.

As cerca de mil pessoas realizaram seu desfile anual, já marcado para ali, quando ainda estava previsto que a programação da Jornada aconteceria em Guaratiba.

Posicionados para esperar o papa, do outro lado da grade por onde passava a marcha, os peregrinos, perplexos e ofendidos, não acreditavam no que estavam vendo.

Símbolos da igreja eram transformados em objetos fálicos, mulheres dançavam “até o chão” em cima da imagem de uma santa e pisavam sobre crucifixos quebrados.

“É terrivelmente ofensivo”, disse a advogada gaúcha Maria da Glória Sabug.

Á sua frente, manifestantes cantavam: “ô Vaticano, vou te dizer, existe aborto independente de você”, além do tradicional “Fora Cabral”.

Com um forte esquema policial acompanhando a passeata, o grupo chegou ao seu destino sem problemas. A marcha terminou no posto 9, em Ipanema, com um “beijaço”.

[b]Fonte: Folha de São Paulo[/b]