A Igreja Católica holandesa já recebeu 350 denúncias de pessoas que afirmam ter sofrido abusos sexuais por parte de membros do clero entre os anos 50, 60 e 70, informou nesta quarta-feira o jornal “Volkskrant”. A revelação vem em meio ao escândalo de casos de abuso sexual na Alemanha e pouco depois do estouro de crise semelhante na Irlanda.

A Conferência dos Bispos da Holanda decidiu nesta terça-feira criar uma comissão independente de investigação liderada por um político democrata-cristão de alta categoria, o ex-presidente do Parlamento e ex-prefeito de Haia, Wim Deetman, de confissão protestante.

O escândalo começou no final de fevereiro, quando vários veículos de comunicação divulgaram denúncias de abusos sexuais cometidos supostamente nos anos 60 e 70, em um internato da ordem dos salesianos no leste do país.

Desde então, se multiplicaram as denúncias de supostos abusos cometidos por sacerdotes e freiras em diferentes internatos e colégios do país.

O bispo Gérard de Korte assegurou à imprensa que os padres holandeses estão “profundamente afetados pelas últimas histórias dos abusos sexuais”. “É uma página escura na história da Igreja Católica”, informou à rádio Netherlands.

Fonte: Folha Online