Placa em frente a Primeira Igreja Presbiteriana na cidade de Joplin, no estado de Missouri, nos EUA
Placa em frente a Primeira Igreja Presbiteriana na cidade de Joplin, no estado de Missouri, nos EUA

A Igreja Presbiteriana dos EUA (PCUSA, sigla em inglês) perdeu aproximadamente 56.000 membros ativos e fechou mais de 100 congregações em 2020, de acordo com um recente relatório anual sobre estatísticas denominacionais.

O Gabinete da Assembleia Geral do PCUSA divulgou na segunda-feira as estatísticas anuais sobre o número de membros e doações, que incluíam as atas da 224ª Assembleia Geral.

De acordo com a Seção IV das atas sobre estatísticas, o PCUSA tinha aproximadamente 1,245 milhão de membros ativos em 2020, ante 1,302 milhão em 2019, ou um declínio de 56.689.

Os dados são derivados de relatórios de 82% das igrejas PCUSA, que representam 90% dos membros da denominação.

A maior denominação presbiteriana nos Estados Unidos também viu uma queda nas congregações, passando de 9.041 em 2019 para 8.925 em 2020.

Embora 2020 tenha sido um ano de bloqueios pandêmicos, que impactou igrejas de todas as denominações, as perdas do PCUSA foram comparáveis ​​a 2019, quando a denominação relatou perder cerca de 50.000 membros e fechar 120 congregações.

Nos últimos anos, como com outras denominações protestantes tradicionais, PCUSA experimentou um declínio considerável no número de membros e congregações.

O declínio no número de membros ocorre à medida que os dados mostram nos últimos anos um declínio no número de americanos que se consideram cristãos e um aumento no número de americanos que se consideram não filiados à religião.

Outro fator para a PCUSA tem sido a direção teológica da igreja, já que sua afirmação do clero gay levou várias congregações a deixar a denominação em protesto nos últimos anos.

Folha Gospel com informações de The Christian Post