Cristãos na Nigéria
Cristãos na Nigéria

Mais uma vez, as igrejas na Nigéria são alvo de grupos extremistas armados. No domingo do dia 19 de junho, militantes islâmicos atacaram as igrejas Batista Maranatha e St. Moses, no norte da Nigéria.

De acordo com a Portas Abertas, pelo menos 3 cristãos morreram e 30 foram sequestrados. Alguns também ficaram feridos. Os ataques costumam acontecer durante cultos dominicais, que ocorrem pela manhã.

As duas igrejas estão sediadas no estado de Kaduna, uma região severamente afetada pela violência dos militantes Fulani. Os agressores entraram nas aldeias em motocicletas e atiraram indiscriminadamente.

Ataques frequentes

Os ataques repetidos paralisam sistematicamente — principalmente os cristãos — mas também as comunidades agrícolas, gerando medo por meio de sequestros e estupros, empobrecendo famílias, desalojando pessoas de suas terras e, finalmente, expulsando a população local da área.

Além de matar, os criminosos também saqueiam lojas e levam objetos de valor das aldeias.

Esse ataque mais recente ocorreu logo após o amplamente divulgado massacre da igreja de Owo, em 5 de junho, no sul da Nigéria, onde 50 cristãos foram mortos.

Planos de islamização

Na Nigéria, a cada 2 horas um cristão é morto por sua fé. Os ataques violentos de extremistas islâmicos têm um objetivo bem definido: eles querem islamizar o sétimo maior país do mundo.

Existe uma agenda muçulmana que se aproveita da instabilidade política do país e da economia pobre. Esses grupos transformaram a Nigéria e a região circundante do Sahel (Burkina Faso, Camarões, Chade e Níger) em um epicentro da violência jihadista.

Nigéria foi responsável por quase 80% das mortes de cristãos

A Igreja na Nigéria perde em média 13 cristãos por dia, o equivalente a 372 cristãos por mês. Cada número representa um homem, mulher, pai, mãe, filho ou filha que morre violentamente só porque decidiu seguir Jesus.

Pesquisas da Portas Abertas de 2022, revelam que em 2021, mais cristãos foram assassinados por sua fé na Nigéria do que em qualquer outro país.

No ano passado, a Nigéria foi responsável por quase 80% das mortes de cristãos em todo o mundo, com mais de 4.650 crentes mortos, tornando a Nigéria o lugar mais violento do mundo para os cristãos.

“Vamos cair de joelhos diante de nosso Senhor e falar com Ele atentamente em nome de nossa família nigeriana”, pediu a organização.

Fonte: Guia-me com informações de Portas Abertas

Comentários