Família cristã em Comores, na África
Família cristã em Comores, na África

No final do mês de julho, foi realizado um referendo em Comores com relação a uma reforma constitucional.

O objetivo foi escolher qual a religião oficial do país, com o “sim” tendo uma esmagadora vitória, o que declarou o estado islâmico sunita.

A constituição foi alterada e agora estão estabelecidos princípios e regras para o cumprimento da religião sunita.

De acordo com uma fonte local, a decisão deve ter um forte impacto sobre a minoria cristã do país. Em abril, o presidente Azali Assoumani suspendeu o tribunal constitucional por incompetência que, segundo analistas, foi uma tentativa de diminuir a ordem jurídica no país.

Durante sua campanha, Assoumani apelou ao povo que votassem para a extensão do mandato presidencial prometendo que medidas mais severas seriam tomadas com aqueles que não são sunitas.

A emenda constitucional dá a ele o direito de concorrer a outra eleição presidencial, o que antes não era possível já que esse poder se alterava a cada cinco anos entre as três ilhas do país.

Números do World Christian Database mostram que mais de 95% da população comorense é muçulmana sunita, o que torna os 2,1% de cristãos e islâmicos xiitas do país alvos.

Com os anos, houve um crescimento do islamismo radical entre a população, oficiais do governo, líderes religiosos e grupos de jovens muçulmanos, o que tem preocupado os cristãos.

Oficiais do governo obrigam pais a enviarem seus filhos para as madraças e ali líderes muçulmanos ensinam sentimentos anticristãos.

No país, além dos cristãos ex-muçulmanos poderem ser processados, também encaram duras discriminações.

O Estado nega espaços de adoração para cristãos no geral. Além disso, os djaulas, grupo ultraconservador radical que são contra os convertidos, pressionam o país a adotar uma visão mais extrema da sharia (conjunto de leis islâmicas).

Comores, oficialmente União das Comores, é uma república federal insular, que compreende três das quatro ilhas principais do arquipélago de Comores, no Oceano Índico, localizado no extremo norte do canal de Moçambique na costa oriental da África.

Fonte: Missão Portas Abertas e Wikipédia