Humorista evangélico Jonathan Nemer no Programa The Noite com Danilo Gentili
Humorista evangélico Jonathan Nemer no Programa The Noite com Danilo Gentili

Depois da polêmica criada em torno da declaração “menino veste azul e menina veste rosa”, dita pela Ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, o humorista Jonathan Nemer publicou um vídeo na última sexta-feira (4) que viralizou nas rede sociais.

No início do vídeo, Nemer criticou a falta de capacidade de interpretação das pessoas que têm sido moldadas pela opinião de artistas e influenciadores.

“Esse povo foi contra a eleição do [presidente Jair] Bolsonaro, então qualquer coisinha agora vai pegar para criticar. Mas o engraçado é que esse mesmo artista, quando tem um filho e vai fazer o chá revelação, não estoura a bexiga, ou vê sair fumaça rosa e diz: ‘é menino’”, ilustrou.

O humorista afirmou que os adultos são livres para fazer o que querem com seus corpos, mas o mesmo não deve ser aplicado para as crianças.

“A partir do momento que querem ensinar nas escolas que menino não nasce menino e menina não nasce menina — que eles nascem neutros e, conforme as influências que forem recebendo, vão decidir o que serão — eu sou contra. Não só eu, como a maioria. Exatamente por isso Bolsonaro foi eleito”, observou.

“Democracia é isso, a maioria votou querendo um país conservador, querendo que esses valores sejam preservadora e ganhou. Agora esse pessoal da esquerda quer pegar uma coisinha, distorcer tudo, e tem população acreditando”, acrescentou Nemer.

Em um tom mais sério, ele destacou: “Menino usa azul sim e brinca de carrinho, menina é rosa e brinca de boneca. Mudar isso já é estranho, é manipulação”, disse Nemer. “Você que nasceu homem nunca vai ser mulher, e você que nasceu mulher nunca vai ser homem. Isso não é preconceito, é fato”.

Nemer também opinou que sexualidade deve ser ensinada às crianças pelos pais. “Vamos deixar a escola ensinar coisa de escola mas, educação sexual, deixe o papai e a mamãe ensinar na casa deles, com o vocabulário deles, como quiserem e quando quiserem”.

Fonte: Guia-me