Jovens cristãos na Malásia
Jovens cristãos na Malásia

Mesmo sendo a terceira e a quarta geração de cristãos na Malásia, muitos jovens têm ignorado a fé por não conhecerem profundamente quem é Jesus.

Uma das causas da vulnerabilidade deles é o distanciamento dos lares, que eles deixam aos sete anos para estudar em outros locais, já que muitos vilarejos não oferecem a oportunidade.

O convívio com os familiares é um privilégio para os mais prósperos e acontece apenas nos feriados escolares. Para pagar a viagem de três dias de barco, por exemplo, é necessário 40% da renda das famílias mais humildes. 

De acordo com Juniad, uma jovem cristã que vive em hostel, muitos dos estudantes têm a sensação de isolamento e falta de esperança.

“Vivendo longe das famílias, os únicos modelos de conduta que as crianças têm são os professores”.

Alguns deles compram comida, livros e se tornam amigos dos alunos, então é comum que os beneficiados se interessem pela religião do tutor e se convertam ao islã.

“Existe uma necessidade urgente desses jovens e crianças encontrarem o amor de Jesus. O mais importante é que eles saibam que são amados mesmo com os corações quebrados”, acrescenta.

Fortalecendo os remanescentes

Em resposta a essa necessidade, a Portas Abertas está trabalhando com igrejas locais na promoção de acampamentos para jovens cristãos.

O principal objetivo do projeto é fazer com que crianças,  adolescentes e adultos mergulhem na fé cristã para aprender mais sobre Jesus e a salvação.

Logo no início, os participantes assimilam, através de atividades e jogos, quem é Jesus. Já os adolescentes têm discipulado, onde aprendem mais sobre Cristo e a vida dele na terra.

O trabalho é feito para capacitá-los a serem mais fortes na fé durante os tempos de tribulação.

Uma das beneficiadas pelo evento é Sara*, natural de uma vila rural no interior de Sarawak, na ilha de Bornéu. Ela costumava atormentar os colegas que considerava fracos. Após participar do acampamento, a garota teve o coração transformado completamente.

“Eu sou muito grata por esse acampamento porque eu tenho aprendido sobre Deus e o amor dele. Eu encontrei uma nova identidade, eu sou filha de Deus”, testemunha.

Juliana é outra jovem feliz por participar do acampamento. Ela agradece a todos que tornaram a experiência possível e pede: “Orem por nós, jovens, então seremos fortes na fé mesmo diante de muitas religiões e deuses. Eu acredito que esse é o caminho certo para vivermos”, conclui.

Fonte: Portas Abertas