Decisão divulgada no Diário da Justiça desta sexta-feira (28) determina que a igreja presidida pelo prefeito afastado Gilmar Olarte retire a marca e o logotipo Assembleia de Deus Nova Aliança “Adna” da fachada e das publicações no prazo máximo de 48 horas, com pena de multa diária no valor de R$ 5 mil. A determinação faz parte de uma ação movida pela sede da igreja, localizada em Cuiabá (MT).

Conforme a publicação, a determinação é que a igreja “se abstenha, de imediato, de utilizar a marca e o logotipo da requerente “ADNA”, em todo e qualquer meio escrito, falado, ou, em mídia eletrônica, banners, outdoor, letreiros, bem como promova a retirada, no prazo de 48 horas, da marca/logotipo da fachada de sua sede (matriz) e de suas congregações (filiais), sob pena de incorrer em multa”. Ainda conforme a publicação, a contestação pode ocorrer no prazo máximo de 15 dias.

À reportagem do Portal Correio do Estado, o pastor Edvaldo José Gonzaga de Melo explicou que Olarte já havia sido notificado judicialmente para não usar a logo da Adna em 2010, mas ignorou o aviso. Esse pedido aconteceu após o desligamento de Olarte da Adna, um ano antes. “Nossa igreja não adota nenhum projeto político. Ele tinha que esolher ou deixava a política ou escolheria outra igreja”, detalhou Edvaldo sobre o desligamento de Olarte.

Ainda segundo o pastor, Olarte tentou patentear outra marca, ainda mantendo a sigla Adna, mas teve o pedido negado. “Decidimos entrar com a ação porque nossa imagem está prejudicada com esses escândalos todos”, pontuou o pastor, se referindo as denúncias de corrupção envolvendo Olarte. A reportagem tabém tentou contato com o prefeito afastado, mas ele não atendeu as ligações.

[b]Fonte: Correio do Estado[/b]

Notícia relacionada: [url=https://folhagospel.com/modules/news/article.php?storyid=30776]Igreja processa igreja após operação da polícia[/url]