Flordelis e Anderson do Carmo eram casados há 25 anos Foto: Reprodução
Flordelis e Anderson do Carmo eram casados há 25 anos Foto: Reprodução

A Justiça do Rio prorrogou ontem a prisão temporária de dois dos 55 filhos da deputada federal Flordelis (PSD-RJ), presos após o assassinato do pastor Anderson do Carmo, 42, que levou tiros em 16 de junho em Niterói (RJ). Carmo era casado com a deputada federal. Eles tinham 55 filhos – 4 deles são biológicos.

Com os novos mandados de prisão, Flávio dos Santos Rodrigues, 38, e Lucas dos Santos, 18, ficarão mais 30 dias presos.

Flávio, filho biológico de Flordelis, foi preso no dia seguinte à morte do pastor por conta de um mandado de prisão por violência doméstica que tinha em aberto. Lucas foi preso por um crime análogo ao tráfico de drogas, que teria cometido quando ainda era menor de idade.

Dias depois, a polícia solicitou a prisão temporária dos dois e passou a considerá-los formalmente suspeitos pelo assassinato. Lucas é suspeito de ter obtido a arma calibre 9 mm usada no crime.

Procuradas pela reportagem, as defesas dos filhos de Flordelis ainda não se manifestaram.

Morte completou um mês

Após mais de um mês, a investigação do caso está assim:

  • Uma arma calibre 9 mm foi achada pela polícia sobre o armário do quarto de Flávio na casa em que Flordelis vivia com Carmo.
  • Uma perícia nesta semana confirmou que o revólver foi usado no crime.
  • A polícia obteve vídeo que mostra os filhos presos na cena do crime.
  • Tanto o celular do pastor quanto o de Flávio permanecem desaparecidos

Polícia quer investigar Flordelis

Segundo informações reveladas pelo Jornal do SBT, a polícia já teria solucionado o crime e estaria aguardando apenas um posicionamento do STF para concluir a investigação. 

Ainda de acordo com o telejornal, a decisão do Supremo Tribunal Federal sobre a imunidade parlamentar de Flordelis seria o principal entrave para a definição do caso.

A expectativa é que o resultado seja divulgado ainda nesta semana, tanto do STF quando da polícia.

A informação traz nova luz à investigação, apontando que os policiais da Delegacia de Homicídios de Niterói acreditam no envolvimento da parlamentar no crime e podem ter encontrado indícios de sua participação. Entretanto, como o caso corre em sigilo, as possíveis definições ainda estão no campo da suposição.

Homenagem

A deputada federal publicou uma homenagem ao pastor, cujo assassinato completou um mês na última terça-feira (16).

“Minhas fotos ao lado dele foram sempre felizes e sorrindo… infelizmente, hoje dói! Dói a dor da perda, a dor da saudade, a dor da falta que ele me faz. UM MÊS SEM MEU NIEL! Te amarei eternamente!”, declarou Flordelis, mencionando o apelido que Carmo mantinha entre os parentes.

Ela retomou as atividades parlamentares na semana passada, quando retornou à Brasília para a votação da Reforma da Previdência.

Fonte: UOL e O Dia