Lauren Daigle se apresenta no palco durante o Billboard Music Awards de 2019 no MGM Grand Garden Arena em 1º de maio de 2019 em Las Vegas, Nevada.
Lauren Daigle se apresenta no palco durante o Billboard Music Awards de 2019 no MGM Grand Garden Arena em 1º de maio de 2019 em Las Vegas, Nevada.

Após uma reclamação da prefeita de Nova Orleans, nos EUA, a popular cantora cristã Lauren Daigle foi cortada da programação da transmissão especial de televisão anual de Ano Novo do “Dick Clark’s New Year’s Rockin ‘Eve”, pelo canal ABC.

A prefeita de Nova Orleans, LaToya Cantrell, uma democrata, escreveu uma carta a Amy Thurlow, presidente da Dick Clark Productions, expressando “preocupações urgentes” sobre a aparição de Daigle na celebração da véspera de Ano Novo, com transmissão ao vivo de Nova Orleans.

As preocupações de Cantrell se deve a participação de Daigle no evento “Let Us Worship” na cidade no mês passado.

De acordo com o gabinete do vice-governador da Louisiana Billy Nungesser, um republicano, a carta de Cantrell, de 9 de dezembro, para Dick Clark Productions resultou em “uma decisão da Dick Clark Productions de retirar Lauren Daigle da escalação e de qualquer celebração da Louisiana transmitida mundialmente.”

“Não posso, em sã consciência, apoiar o envolvimento da cantora Lauren Daigle, que apenas no mês passado participou de uma apresentação ao vivo não permitida que colocou meus residentes em perigo e ameaçou o tremendo progresso que Nova Orleans fez no combate à pandemia de COVID-19”, escreveu Cantrell na carta.

Como Cantrell observou, Daigle se apresentou do evento “Let Us Worship” no bairro francês de Nova Orleans em 7 de novembro. O evento foi um dos vários encabeçados pelo artista de adoração Sean Feucht em resposta às restrições impostas aos locais de culto por causa do novo coronavírus.

Cantrell se referiu a Feucht como um “provocador” e criticou a participação de Daigle em um evento “não permitido” que estava “em violação das diretrizes críticas de saúde pública que meu governo estabeleceu para salvar vidas em nossa cidade”, acrescentando: “Colocou vidas em perigo”.

Triste e desapontada

Em resposta a sua proibição de participar do evento de Ano Novo, Lauren Daigle disse que estava triste e desapontada.

“Estou desapontada que minha participação espontânea se tornou parte do discurso político e estou triste com as agendas divisórias desses tempos”, disse a cantora cristã em uma declaração a uma agência de notícias da Louisiana.

Ela esclareceu em seu depoimento que não estava envolvida no planejamento daquele evento, nem estava programada para participar dele. Em vez disso, ela se deparou com o evento enquanto andava de bicicleta com uma amiga e foi “convidada a cantar”.

“Para mim, esse é o exato momento em que a música serve a um propósito maior”, disse ela. “É o que dá às pessoas encorajamento, esperança de um futuro melhor e é o que pode trazer alegria para seus corações. Meu envolvimento foi focado em levantar espíritos, fornecer esperança e encorajamento, durante esses tempos de polarização. ”

De acordo com o site Nola.com, tanto Daigle quanto Dick Clark Productions disseram que a cantora de “You Say” nunca foi confirmada para estar no show. Mas o tenente-governador da Louisiana, Billy Nungesser, a queria na programação da transmissão e a contribuição de US $ 500.000 do estado para a produção festiva foi baseada na aparição de Daigle.

“Eu teria ficado, e ainda seria, honrado em representar nossa cidade na véspera de Ano Novo e embora eu estivesse ciente das discussões sobre meu envolvimento, uma oferta nunca foi feita”, Daigle esclareceu em sua declaração.

Ela acrescentou que “chorou, implorando para que este caos se dissipasse e para que a harmonia voltasse”.

“Precisamos de união quando as pessoas estão desesperadas, sofrendo, morrendo de fome ou sem trabalho”, enfatizou ela.

Daigle encerrou sua resposta agradecendo a seus apoiadores que “têm sido um bálsamo para minha alma durante todo este processo”.

A polêmica veio na sequência da atuação de Daigle no final da temporada de “The Voice” da NBC.

Folha Gospel com informações de The Christian Post e Nola