Participantes do II Fórum Interdenominacional de Reflexão Evangélica sobre a eutanásia. / Actualidad Evangelica.
Participantes do II Fórum Interdenominacional de Reflexão Evangélica sobre a eutanásia. / Actualidad Evangelica.

O segundo Fórum de Reflexão Evangélica Interdenominacional reuniu cerca de cem líderes espanhóis para abordar a questão da eutanásia.

Através de um evento misto, realizado pessoalmente em Madrid, com 52 pessoas, e por transmissão online simultânea com outras 43, o dia centrou-se na recém- aprovada lei da eutanásia em Espanha.

“O objetivo deste fórum é construir ferramentas que nos ajudem a tomar decisões e a lidar com esta complexa questão da melhor maneira possível”, disse Jesús Londoño, diretor da associação missionária SEPAL Espanha e líder internacional do movimento ‘De volta à Europa’.

Durante o evento, organizado pela Federação das Entidades Religiosas Evangélicas da Espanha ( FEREDE ), foram realizadas 4 apresentações sobre os seguintes temas: “Deus, vida e eutanásia”; “Eutanásia da ciência e da medicina”; “Perspectiva ético-jurídica da eutanásia” e “Eutanásia: diferentes pontos de vista” .

Seguiu-se o painel “Práxis pastoral: o que fazer perante a eutanásia”.

O dia terminou com a leitura das conclusões preliminares. As conclusões finais serão publicadas em breve em espanhol em um formato acessível ao público.

Depois de algum tempo de discussão, chegou-se a um consenso sobre alguns temas fundamentais, como a soberania de Deus diante da vida e da morte, a dignidade da vida humana independentemente de sua condição e a necessidade de garantir uma lei universal sobre os cuidados paliativos.

Os participantes refletiram também sobre a pastoral diante da morte e do fim da vida, enfatizando a necessidade de formação, empatia e sensibilidade para os líderes que devem enfrentar essas situações.

Destacaram também que é fundamental uma pastoral que acompanhe com amor e misericórdia as pessoas nos últimos momentos.

Uma lei polêmica

A lei da eutanásia foi aprovada na Espanha em dezembro de 2020 com uma maioria de 198 votos. A Espanha tornou-se o quarto país da Europa e o sexto mundial a legalizar a eutanásia, depois da Holanda, Bélgica, Luxemburgo, Canadá e Nova Zelândia.

De acordo com a lei, qualquer pessoa com “doença terminal ou incurável que cause sofrimento físico e mental intolerável” tem agora acesso à eutanásia na Espanha.

Antes da aprovação, a Aliança Evangélica Espanhola (AEE) divulgou um comunicado alertando que “é perigoso formar uma opinião social que diga que os pacientes terminais são um fardo” e conclamando o governo a promover um modelo para quem combina acesso a cuidados paliativos com família e suporte econômico.

O Comitê Espanhol de Bioética também destacou que havia “sólidas razões de saúde, éticas, jurídicas, econômicas e sociais para rejeitar a transformação da eutanásia em direito subjetivo e serviço público”.

Grupos religiosos e instituições médicas também levantaram suas vozes contra a aprovação da lei e pediram melhores medidas de cuidados paliativos.

Folha Gospel com informações de Evangelical Focus