Vários pinturas com mensagens anti-cristãs apareceram na Abadia da Dormição, em Jerusalém, construída no local onde segundo a tradição a mãe de Jesus teria morreu – um incidente semelhante ao sofrido por outros monumentos religiosos, informou neste domingo a polícia israelense.

“Encontramos mensagens contra o cristianismo escritas em preto sobre uma parede da Abadia da Dormição”, disse uma porta-voz, acrescentando que a polícia iniciou uma investigação.

[img align=left width=300]http://www.leiaja.com/sites/default/files/styles/400×300/public/field/image/noticias/2016/01/b20df098468d56de69edc7b158feab28b9e283ea.jpg?itok=9iPe0ZpR[/img]Durante anos, os ativistas de direita e colonos israelenses atacaram locais de culto cristãos e muçulmanos em Israel e nos territórios palestinos.

Wadi Abunasar, porta-voz das igrejas católicas da Terra Santa, disse à AFP que entre os escritos dava para ler frases como “Que o nome de Jesus seja apagado” e “Morte aos cristãos infiéis inimigos de Israel”. Ele também mencionou que havia um desenho de um machete ensanguentado dizendo “Que venha a vingança do povo de Israel”.

O representante observou que este ataque é diferente de outros sofridos na mesma igreja, já que desta vez há uma chamada explícita à violência.

Esta abadia localizada em Jerusalém Oriental, a parte palestina da cidade ocupada e anexada por Israel, sofreu maio em 2014 um incêndio criminoso, em que foram queimadas cruzes e mobiliário da igreja.

Segundo a tradição cristã, neste lugar, localizado no Monte Sião, fora das muralhas da Cidade Velha, também foi realizada a Santa Ceia.

[b]Fonte: iG[/b]