O senador criticou a falta de interesse dos parlamentares e imprensa sobre o assunto, na qual poucos compareceram na audiência.

Durante audiência pública da Comissão de Direitos Humanos e Legislação participativa do Senado Federal, nesta quarta-feira (29), o Senador Magno Malta (PR/ES) criticou o texto de lei sobre o sistema de adoção de crianças no Brasil e convocou os parlamentares para discutir e propor mudanças na lei visando diminuir a burocracia sobre a questão. “Temos que mudar o texto dessa lei. Quando você vai destituir da família para adoção, já é uma coisa mais pesada e drástica. Precisa ter legislação clarinha sobre isso”.

Durante a audiência com o debate “os entraves legais para a adoção de crianças’, o Senador Magno Malta, que é pai adotivo, contou sobre a dificuldade que foi adotar a sua filha, atualmente com 12 anos, na qual, mesmo tendo vida pública e boas condições financeira e familiar, teve algumas barreiras.

“Vieram me perguntar quantos metros quadrados tem o quarto da criança. Uma criança que vive no abrigo? Perguntaram se eu tenho condições de pagar a escola. Eu to falando isso porque passei mais de um ano para conseguir a guarda definitiva da minha filha. Eu sou um senador que há 35 anos tiro drogado da rua, tiro criança da rua. Tem que mudar a legislação. O que temos que fazer é alterar esse texto a partir do sentimento”, propõe Malta.

Segundo Malta existem no Brasil cerca de 40 mil crianças em abrigos, seis mil em cadastros para adoção e cerca de 30 mil famílias interessadas em adotar uma criança. “Agora uma questão de adoção no país onde tem mais pretendentes para adoção do que crianças para ser adotadas e você ainda ter criança em abrigo, isso é o fim do mundo”.

O senador chamou a atenção e criticou a falta de interesse dos parlamentares e imprensa sobre o assunto adoção, na qual poucos estavam no local acompanhando e debatendo. “Se isso daqui fosse uma audiência de ‘auê’, estava cheio de deputado, de senador. Se fosse futilidade isso daqui estava cheio. Isso daqui é uma vergonha. Porque alguns só aparecem aqui para debater e dar o seu voto quando o assunto lhe convém. Cadê a grande mídia que bate tanto em violência …para fazer as grandes matérias, vender jornal e ganhar audiência”, criticou Malta.

[b]Fonte: The Christian Post[/b]