Mujica, um reconhecido ateu, destacou o “peso social” que a Igreja Católica tem na Colômbia e na zona do Caribe.

presidente do Uruguai, José Mujica, pediu neste sábado ao papa Francisco, o primeiro pontífice latino-americano, que a Igreja Católica, por motivos de “humanidade”, faça todo o possível para que o processo de paz na Colômbia continue e “chegue a bom termo” por tudo o que significa para a América.

Em uma audiência para a imprensa em Roma, ao término de seu encontro privado com Francisco, Mujica, um reconhecido ateu, destacou o “peso social” que a Igreja Católica tem na Colômbia e na zona do Caribe e disse que isto pode contribuir para que a instituição tenha um papel destacado nas negociações entre as Forças Armadas Revolucionários da Colômbia (Farc) e o Executivo.

“Transmiti ao papa algumas preocupações, algumas conhecidas, como o que está ocorrendo na Colômbia, que eu dou uma importância de caráter transcendente. E quando digo o que está se passando na Colômbia falo do processo de negociação que está sendo levado a cabo”, disse Mujica.

“Levando em conta que o Caribe e Colômbia são enormemente católicos, tenho que reconhecer que entre as coisas que pedi ao papa, em termos de humanidade, levando em conta o peso social da Igreja Católica, que se faça todo o possível para que o processo continue e chegue a um bom termo, pelo que significa para a Colômbia e toda América”, acrescentou.

Mujica explicou que o papa argentino, com quem se reuniu em audiência privada no Vaticano durante cerca de 45 minutos em um clima de grande cordialidade e entendimento, respondeu que “estava informado e que a atitude da Igreja é positiva”.

O presidente do Uruguai assegurou que Francisco “agradeceu” a ele que não tenha “implementado um governo que buscasse a polarização” do Uruguai e se ofereceu para colaborar em tudo o que for possível.

“Francisco é um papa singular para os que somos do Rio da Prata. É como falar com um amigo do bairro. É um papa que eu acho que, se o deixarem, vai fazer uma revolução no seio da Igreja, em direção à simplicidade”, descreveu Mujica.
[b]
Fonte: Primeira Edição[/b]