Uma pesquisa publicada hoje mostra que os franceses consideram que a igreja católica deve se modernizar para se adaptar às mudanças da sociedade e nos costumes, em um momento de transição que resultará na eleição de um novo papa, nos próximos dias.

O estudo, realizado pelo instituto Ifop, foi publicado no jornal francês Sud-Ouest.

Nada menos do que 90% dos franceses, conforme a pesquisa, concordam que a igreja deve reconsiderar as suas posições sobre os métodos contraceptivos. Em relação à proibição do casamento para os padres, 83% acham que deve ser repensada e 82% consideram que a interdição do casamento após um divórcio também merece ser reavaliada.

O papa Bento 16 renunciou ao cargo no dia 14 de fevereiro, uma decisão histórica e considerada revolucionária, ao significar mudanças importantes no funcionamento da instituição. “Em uma hora em que a igreja católica está no centro das notícias, a sua posição em relação a questões da sociedade, ligadas ao culto e à família, é objeto de uma expectativa considerável por parte da opinião pública”, concluiu o Ifop.

De acordo com o estudo, 79% dos franceses gostariam que as mulheres também possam ser ordenadas, 77% desejam que a visão sobre a eutanásia seja modernizada, assim como o homossexualismo, para 68% dos entrevistados. Até mesmo somente entre os católicos essas posições evoluem: 62% gostariam de ver reflexões da igreja sobre o homossexualismo, segundo pesquisa.

O Ifop interrogou 1.556 franceses com mais de 18 anos, entre 27 de fevereiro e 1º de março.

[b]Fonte: RFI – Portugal[/b]