Após ser multado por propaganda eleitoral em igrejas evangélicas, Geraldo Alckmin (PSDB) visitou a Assembleia de Deus Ministério de Santo Amaro.

O governador de São Paulo e candidato à reeleição, Geraldo Alckmin (PSDB), recebeu homenagem em um templo pentecostal, da capital paulista, quatro dias depois de ter sido multado pela Justiça Eleitoral por fazer propaganda eleitoral em visitas a igrejas evangélicas.

O tucano participou neste domingo (21) de encontro com cerca de 400 líderes religiosos na Igreja Assembleia de Deus Ministério de Santo Amaro. No local, recebeu o título Daniel Berg e Gunnar Vingren, honraria concedida pela denominação pentecostal.

[img align=left width=300]http://xoops1.jornalfloripa.com.br/arquivos/noticias/_miniaturas/Multado_por_propaganda_em_templo_Alckmin__homenageado_em_igreja.jpeg[/img]Candidato à reeleição ao governo do estado Geraldo Alckmin, PSDB, sai de culto na Igreja Assembléia de Deus
Candidato a reeleição ao governo de São Paulo, Geraldo Alckmin sai de culto na igreja Assembléia de Deus

Na última quarta-feira (17), o juiz Cauduro Padin, do TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo), multou em R$ 4 mil o governador por fazer campanha eleitoral em visitas a templos religiosos.

A representação foi movida pela coligação do candidato do PMDB, Paulo Skaf, e se baseou em duas reportagens publicadas pela Folha. Elas relatam visitas do governador a culto da Comunidade Sara Nossa Terra e a reunião na Igreja El Shaddai, associada à denominação Ministério Internacional da Restauração.

Para o juiz, as fotografias das matérias jornalísticas mostram o tucano “em posição de destaque, indo ao púlpito e proferindo discurso ao grande público”.

A legislação eleitoral proíbe propaganda eleitoral em bens de uso comum, como igrejas. Cabe recurso da decisão ao plenário do TRE-SP.

[b]SKAF[/b]

O pastor Renato Galdino, liderança da Assembleia de Deus de Santo Amaro, explicou que a homenagem não se trata de um anúncio de apoio da denominação pentecostal à candidatura do tucano.

Segundo ele, a cúpula da igreja irá definir uma posição nos próximos dias, que será divulgada em carta aberta.

“Eu acho que a tendência hoje é apoiar o governador Geraldo Alckmin”, disse.

Filiado ao PMDB e candidato pela sigla a deputado federal, o pastor disse que o governador tem “uma afinidade muito grande com os evangélicos” e criticou o candidato Paulo Skaf por ter ingressado com representação contra o tucano pelas visitas aos templos religiosos.

“No momento em que ele entrou com uma ação contra o governador, ele denegriu e feriu a imagem de uma igreja, independentemente de ser a minha. Isso me angustiou”, disse.

A Assembleia de Deus de Santo Amaro possui atualmente 352 templos em todo o Estado. Em busca do apoio evangélico, o governador tem participado desde o início da campanha eleitoral de agendas religiosas.

Elas não são divulgadas à imprensa e são tratadas por sua equipe como “confidenciais”.

[b]Fonte: Jornal Floripa[/b]