Cena do vídeo de lançamento das roupas infantis sem gênero de Celine Dion
Cena do vídeo de lançamento das roupas infantis sem gênero de Celine Dion

Um padre e exorcista católico romano sugeriu que poderia haver influências “demoníacas” por trás da nova linha de roupas neutras de gênero da Celine Dion para crianças.

Segundo o monsenhor John Essef, da diocese de Scranton, do estado americano da Pensilvânia, a iniciativa da cantora Céline Dion, de criar uma linha de roupas sem gênero para crianças, é “definitivamente demoníaca”, disse ele ao The National Catholic Register.

No texto, o sacerdote, que também já atuou como exorcista da Igreja Católica americana, fez várias afirmações contrárias ao pensamento transgênero.

“Estou convencido de que a maneira como essa questão de gênero tem se espalhado é algo demoníaco. Eu não seu quantos gêneros podem ter agora, mas somente dois foram criados por Deus. O diabo está indo atrás das crianças para trazer confusão de gênero. Quando uma criança nasce, qual é a coisa mais natural que perguntamos? Se é menino ou menina. Isso é a coisa mais natural do mundo, mas dizer que não há diferença é satânico”, declarou.

Ele defende ainda que as pessoas por trás dessa ideologia estão influenciando as crianças para uma desordem. E questionado sobre o lançamento de Dion, com a linha infantil Célinenununu, ele não mediu palavras em sua avaliação, que defende que o diabo está por trás da coleção de roupas da artista.

“Isso é definitivamente satânico. (…) O diabo é mentiroso e existem grandes mentiras sendo contadas. Isso está sendo feito por dinheiro”, afirmou.

Após o lançamento, Celine fez várias publicações em seu perfil do Instagram, defendendo a proposta de suas roupas infantis.

“A moda constrói conceitos lá no fundo da nossa mente e transforma padrões de pensamentos. Ela ajuda a libertar a força da criatividade e da imaginação das crianças, nutrindo a igualdade e a flexibilidade de pensamento que permite às crianças a abraçarem completamente quem são. Ela encoraja as escolhas das crianças a serem levadas pela sua própria e verdadeira essência”, escreveu em um dos posts.

Ela defende que não há nada de errado com tons de azul, rosa, amarelo, cinza, branco e preto.

“Eu amo todas as cores. Trata-se de dar a elas (às crianças) liberdade. Liberdade de expressão. Fugindo de estereótipos. Dando a elas a oportunidade de que antes de elas falarem já têm uma voz”, declarou a cantora.

O monsenhor John Esseff
O monsenhor John Esseff

Para o padre, as crianças estão sendo influenciadas para a desordem e são marcas do diabo.

“As pessoas por trás disso estão influenciando as crianças para a desordem. Isso é definitivamente satânico. Há uma mentalidade por trás disso – uma mentalidade organizada. O diabo é um mentiroso e há enormes mentiras sendo contadas. Isso está sendo feito por dinheiro, e há uma divisão que vem disso – marcas do diabo”.

 

Linha de roupas infantis, sem gênero, para crianças
Linha de roupas infantis, sem gênero, para crianças
Linha de roupas infantis, sem gênero, para crianças
Linha de roupas infantis, sem gênero, para crianças

Fonte: The Christian Post e Pleno News