Cantora Pamela
Cantora Pamela

Vivendo um novo momento na carreira, Pamela lançou, nesta segunda-feira (21), o clipe da canção Ao Som de Sua Voz. Em entrevista ao Pleno.News, a cantora falou o que a música representa em seu ministério e relembrou um pouco de sua trajetória.

Casada há sete anos com o produtor Márcio Carvalho, Pamela conversou sobre vida a dois, o desejo da maternidade, a temida crise dos 40 e deu dicas de beleza e saúde.

Ela ainda adiantou as próximas novidades para os meses que virão, que inclue uma caravana para França e Israel, ao lado do cantor Anderson Freire e do pastor Nelson Jr., do movimento Eu Escolhi Esperar.

Que balanço você fez desses 24 anos de carreira?
Quando eu recebi Ao Som de Sua Voz eu parei para pensar nisso. A música fala sobre ouvir a voz de Deus, que nos motiva a seguir em frente, e remeteu ao meu passado. Lembrei de mim cantando lá no interior de São Paulo com meu pai me acompanhando. Mesmo com tantas dificuldades, olhei pra trás e sorri. Com erros e acertos, consegui chegar onde eu sonhei. Comecei a cantar muito criança e não tinha noção do que Deus iria fazer na minha vida.

Qual foi o ano mais importante?
Foi 2002. Ali decidi realmente viver para o meu ministério. Acho que mais acertei do que errei. Era adolescente e era muito difícil lidar com a fama na minha época.

Quais foram os maiores desafios no começo?
Criaram muitas mentiras a meu respeito que não tive chance de me defender. Não tive um preparo e, quando vi, estava no meio de tudo. Por me fechar um pouco mais, acho que criei uma antipatia em algumas pessoas. É um ministério que cobra muito. A gente não tem que se preocupar só com o que canta ou a mensagem que vai trazer. Tem que se preocupar com a roupa que veste, a maquiagem que usa. Você se cobra o tempo todo e eu não estava preparada. As pessoas poderiam dar um desconto, mas elas não perdoam.

Como era ser vista como uma referência para o público teen?
As pessoas falavam que eu copiava a Britney Spears e a Sandy, mas música pra mim é universal. A música é de Deus, a mensagem que é o diferencial. Eu comecei a colocar elementos eletrônicos porque era o que o jovem da época gostava de consumir e o que tirava ele da igreja. Fui a primeira cantora gospel a gravar um eletrônico, um funk, um remix. Com isso, muitos jovens foram jovens na igreja, sem beber e fazer coisas erradas. O que mais ouço hoje em dia são jovens falando que cantavam minhas músicas nos retiros das igrejas.

O que o projeto Tour do Amor representou na sua carreira?
Sempre cantei músicas românticas. Tinha mais de 20 canções e pensei em fazer um evento só para casais. Comecei nos teatros e depois fomos para as igrejas. Coloquei uma dessas apresentações no meu canal do YouTube e a Marina (de Oliveira, diretora artística da MK Music) pensou em lançar no Dia dos Namorados. Escolhi quatro e gravamos com novos arranjos na minha volta para a MK. Também gravamos o single Pra Quem Se Humilhar, que era a proposta que eu queria trazer nesse momento. Deu super certo e logo depois De Joelhos Aqui.

E o que motivou a mudança de estilo?
Eu já não me sentia bem chegando numa igreja e cantando músicas teen. Queria gravar coisas mais profundas, só que fiquei muito conhecida com esse estilo e queria mostrar uma nova Pamela. E quando você começa uma música nova é muito difícil. Agora estou realmente começando uma coisa do zero, sendo que já tenho uma bagagem enorme nas minhas costas, de um passado muito grande. Hoje ministro de uma forma diferente. Amo minhas músicas antigas, mas também amo mostrar essa nova fase.

E foi essa nova fase que te levou a gravar Ao Som de Sua Voz?
Eu queria começar o ano com essa canção. Além dela, temos mais cinco músicas para lançar. Escolhi essa porque o começo do ano é o momento em que a gente para pra refletir e fazer uma análise do que fizemos de certo ou errado. O que me motiva a seguir em frente é a voz de Deus. Quero que essa canção seja a voz de Deus no ouvido de todos.

E quanto ao clipe?
A gente gravou no hotel Don Pascual, no Rio de Janeiro. O Márcio, meu marido, assinou a produção musical e o Kleyton Martins tocou o piano. Quem não conhece a Pamela vai ver quanta história eu tenho. Peguei meus VHS do comecinho para colocar imagens de momentos que vivi. Também tem a tradução da música em Libras feita pela Renata Santoliver, do Ministério Incluir, da Igreja Batista Atitude. Estou muito feliz em falar pra esse público.

Que outras novidades vêm por aí?
Estou com uma música pronta para lançar com o Anderson (Freire) e vamos gravar um videoclipe no evento que faremos em Paris. Fizemos a primeira caravana em dezembro, com o pastor Edvaldo Oliveira, do Minuto com Deus. Essa agora é com o pastor Nelson Jr., do Eu Escolhi Esperar. Está sendo um presente de Deus gravar um clipe na Europa, ainda mais com o Anderson. Já gravei muita música do Anderson e tenho um carinho muito grande por ele e a Raquel (esposa do cantor). Essa música vai impactar e selar essa nova Pamela. Teremos lançamentos de músicas a cada dois meses. Tem música com a Bruna Karla, tem de amor…

Qual o segredo para manter o relacionamento ao longo desses sete anos?
Paciência, porque amar realmente é uma decisão. No dia que a gente tomou essa decisão, a gente jurou diante de Deus. Tem dia que a gente briga, mas depois coloca o pé no chão e respira fundo. Todo casal briga, mas eu tenho muita paciência com ele e ele em dobro comigo. A gente também se respeita porque sou cantora e ele é músico e nem sempre conseguimos ficar juntos. Temos a mesma paixão pela música, ele me ajuda sempre fazendo as produções e o admiro muito. É isso que faz o nosso casamento dar certo: o amor, a paciência e a cumplicidade. A gente conversa muito sobre trabalho, mas não é um peso. E temos nosso filho canino, o Gibson.

Já bate o desejo da maternidade?
Vamos começar a tentar, mas sem pressão. A gente está de boa. Na hora que vier, amém. Bateu a neura, mas minha médica disse que somos saudáveis. Hoje em dia está tudo muito diferente. Eu super me cuido e ela mandou relaxar porque quando tiver que ser vai ser. Então, estou em paz e está tudo bem com meus exames.

Pamela e Márcio Carvalho estão casados há sete anos (Foto: Reprodução)

Como faz para cuidar da saúde e da beleza?
Minha prioridade é comer bem e ir à academia. Eu gosto de me cuidar. Cortei o cabelo e fiz um visual mais prático. Não tem desculpa. Reeducação alimentar e disciplina são coisas fundamentais para uma vida saudável. Então minha dica é essa: força de vontade.

E como faz para estar na igreja?
A igreja é onde me abasteço, onde sento para ouvir e ser ministrada. Meu pastor Josué Valandro Jr. está sempre comigo, conversando, sabendo como estou, intercedendo, me aconselhando e isso faz toda a diferença.

E como é a Pamela digital influencer?
Isso aconteceu naturalmente. Comecei a dividir as coisas que eu gosto, então as marcas começaram a me procurar. Antes de divulgar, eu testo, uso, vejo se está legal. Foi natural e eu gosto.

Como é sua relação com público LGBT?
Eles sabem a minha posição perante a Bíblia, que é algo que Deus abomina. Eu falo isso em relação ao pecado, não ao pecador. Eu os amo como pessoas, são maravilhosos e me recebem com muito carinho. Agradeço de coração o amor que eles têm e espero que eles possam ter esse encontro real com a Verdade. Não vou deixar de amar, dar atenção e tratar bem.

Qual mensagem você enviaria para a Pamela do passado?
Pamela, não haja tanto por impulso e não exponha tanto o que você acha ou pensa. Eu era muito impulsiva, saía falando e vivendo. Teria que ser mais equilibrada e me preservar um pouco mais. Às vezes, a gente fala muito o que acha e levanta uma galera para falar mal e nos julgar.

Fonte: Pleno.News