Papa Francisco
Papa Francisco

O papa Francisco decidiu cancelar um compromisso na manhã desta quinta-feira (27) por conta de uma “leve indisposição”, segundo o diretor da Sala de Imprensa do Vaticano, Matteo Bruni.

Com isso, o Pontífice não participará da liturgia penitencial prevista no início do período de Quaresma com o clero e também não realizará as confissões dos padres na Basílica Romana de San Giovanni in Laterano, em Roma.

“Na verdade, o Papa não vai a Laterano por uma leve indisposição, pela qual ele preferiu permanecer nos ambientes próximos a Santa Marta”, explicou Bruni à ANSA.

De acordo com o porta-voz da Santa Sé, as outras reuniões previstas para acontecerem durante o dia serão realizadas regularmente. Desde ontem, durante a audiência geral na praça São Pedro, Francisco já havia apresentado sinais de indisposição, como voz fraca e rouca, respiração cansada e tosse, principalmente na procissão entre a igreja de Sant-Anselmo all’Aventino e a Basílica de Santa Sabina.

Solidariedade às vítimas do coronavírus

O papa Francisco manifestou solidariedade a todas as pessoas infectadas com o novo coronavírus e aos profissionais da área da saúde que atendem os pacientes, durante a tradicional audiência de quarta-feira na praça de São Pedro, no Vaticano, depois da qual apertou as mãos de dezenas de fiéis.

“Gostaria de expressar mais uma vez minha proximidade aos enfermos pelo coronavírus e os profissionais da saúde que os atendem, assim como as autoridades civis que participam na assistência e contenção do contágio”, disse o pontífice para centenas de fiéis e turistas.

O papa celebrou a audiência ao ar livre, ao invés de no salão interno Paulo 6º, como geralmente acontece nos meses de inverno.

O pontífice chegou a bordo do papamóvel e depois saudou a multidão, incluindo algumas pessoas que estavam de máscara.

Ao final da audiência, ao invés de subir no papamóvel, Francisco, de 83 anos, apertou as mãos de dezenas de fiéis e beijou algumas crianças.

Quaresma sem insultos nas redes sociais

Durante a Quaresma, os católicos são estimulados a abrir mão de algo, como doces. Nesta quarta-feira, o papa Francisco acrescentou um toque moderno à lista de coisas das quais abdicar durante o período e além: parar de insultar as pessoas nas redes sociais.

O papa pediu o gesto de comedimento ao falar a dezenas de milhares de pessoas reunidas na Praça São Pedro para sua audiência-geral de Quarta-Feira de Cinzas, o início do período de 40 dias que culmina com a Páscoa.

A Quaresma, disse ele nos comentários parcialmente improvisados, “é um momento para abrir mão de palavras inúteis, fofocas, boatos, tagarelice e se dirigir a Deus pelo nome”, disse.

“Vivemos em uma atmosfera poluída por violência verbal demais, palavras ofensivas e danosas demais, que são amplificadas pela internet”, afirmou. “Hoje, as pessoas insultam umas às outras como quem diz ‘bom dia’.”

Durante a Quaresma, marcada pelo arrependimento, jejum e reflexão, os fiéis também são instados a praticar mais boas ações, como dar esmolas, e ser particularmente atentos aos necessitados.

Fonte: UOL, Reuters e AFP