Coordenadores da campanha de Celso Russomanno (foto) são ligados tanto à Igreja Universal do Reino de Deuscomo à cúpula da TV Record, comandada pelo bispo Edir Macedo.

Apesar dos esforços do candidato do PRB à Prefeitura de São Paulo para desvincular o seu partido da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd), integrantes desse grupo religioso são os responsáveis pela condução da campanha de Celso Russomanno.

No “núcleo duro” da candidatura estão o presidente nacional da legenda, Marcos Pereira, bispo licenciado da igreja e coordenador da campanha, e o pastor Vinicius Carvalho, presidente estadual do PRB, responsável pela agenda do candidato e também licenciado da Iurd.

Outros dois integrantes da igreja ocupam cargos executivos: o tesoureiro Aildo Rodrigues Ferreira e o jornalista Edson Pedroso, que assumiu a coordenação logística do comitê de Russomanno após deixar o escritório da TV Record em Nova York.

A emissora pertence ao bispo Edir Macedo, líder da Universal. A Record abrigou Russomanno em um quadro de defesa do consumidor até junho passado.

[b]NEGOCIAÇÃO PRÉVIA
[/b]
“Ele já estava negociando com a Record antes de vir para o partido”, diz Marcos Pereira, que afirma ter convidado Russomanno para se filiar ao PRB em junho do ano passado, ao encontrá-lo no aeroporto de Brasília.

Pereira foi vice-presidente da Record antes de ser presidente do PRB: “Mas também sou professor de direito e mestrando da PUC, a Pontifícia Universidade Ca-tó-li-ca”, diz, enfatizando cada sílaba.

Aliado histórico de Geraldo Alckmin e ex-advogado de Macedo, o deputado estadual Campos Machado, presidente do PTB paulista, comanda o “conselho político” da campanha.

Machado foi procurado por Pereira depois de ter negociado com o PMDB de Gabriel Chalita e o PT de Fernando Haddad. Foi encorajado por tucanos a apoiar do PRB, que cedeu o posto de vice para o petebista Luiz Flávio D’Urso.

Na época, os apoiadores de José Serra quiseram impedir a adesão do PTB a Chalita.

Segundo a mais recente pesquisa do Datafolha, Russomanno lidera as intenções de voto com 35%. Serra tem 21%. Chalita, 7%.

[b]Fonte: Folha de São Paulo[/b]