Pastores Yarian Sierra (à esquerda) e Yéremi Blanco (à direita)
Pastores Yarian Sierra (à esquerda) e Yéremi Blanco (à direita)

Depois de catorze dias detidos e sem conseguir se comunicar com seus familiares , os pastores cubanos Yarían Sierra e Yéremi Blanco foram libertados no sábado, 24, ainda com acusações e, portanto, aguardando julgamento.

“Deus nos deu a resposta. Só Deus pode abrir as portas da prisão ”, expressou o pastor Jatniel Pérez, diretor do Seminário Carey de Cuba, do qual os dois pastores são colaboradores.

“Glória a Deus e a todos vocês, obrigado por orar por estes dois grandes homens de Deus, que continuarão a ser sal e luz para este mundo”, acrescentou Jatniel Pérez, muito ativo nestas semanas defendendo a libertação dos pastores.

Yarián Sierra e Yéremi Blanco foram presos no domingo, 11 de julho, durante as manifestações que ocorreram em várias partes do país.

Após a prisão, as famílias viveram horas de grande incerteza , sem saber onde estavam e sem poder se comunicar com elas.

O Ministério Público de Cuba os acusa do crime de “desordem pública”, denúncia que foi negada por parentes e amigos dos pastores.

Nos últimos dias, intensificou-se a campanha de denúncia ao regime cubano pela prisão de cerca de 400 pessoas, entre pastores, ativistas ou jornalistas.

Da Espanha, a Aliança Evangélica Espanhola e a Federação Evangélica FEREDE enviaram cartas à embaixada cubana na Espanha, intercedendo pela libertação de ambos os pastores .

As igrejas de Cuba convocaram dias de oração, que foram seguidos de diferentes partes do mundo.

Folha Gospel com informações de Protestante Digital