O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, participa nesta terça-feira da peregrinação anual do Hajj, que reúne centenas milhares de muçulmanos em Meca, na Arábia Saudita.

O líder do Irã foi a Meca após receber convite oficial do rei saudita, Abdullah bin Abdul Aziz.

Desde ontem, milhares de fiéis iniciaram o Hajj, peregrinação que todo muçulmano deve fazer pelo menos uma vez na vida aos santuários de Meca e Medina, lugares sagrados para o islã.

Mais de 1,5 milhão de muçulmanos devem participar neste ano do Hajj, considerado uma das maiores demonstrações de fé em massa do mundo. A multidão chegou a pé, em ônibus e em caminhões vindos de Mina e de várias outras regiões em direção a Meca.

Um representante do líder religioso supremo iraniano, o aiatolá Ali Khamenei, fez um discurso para peregrinos do Irã no monte Arafat, em Meca, denunciando os “inimigos da nação muçulmana”.

Em imagens exibidas na TV iraniana, peregrinos mostravam cartazes com frases como “Morte aos EUA” e “Morte a Israel”.

Alguns dos mais entusiasmados passaram a madrugada desta terça-feira no monte Arafat, também conhecido como monte da Piedade.

Em anos anteriores, o Hajj foi marcado por incêndios, distúrbios e violentos confrontos.

O governo saudita também está em alerta para eventuais ações de terroristas.

Grupos ligados à rede Al Qaeda lançaram uma campanha para desestabilizar a monarquia do país, aliada aos EUA desde 2003.

Fonte: Folha Online