Logo da Record TV
Logo da Record TV

A Record TV, de propriedade de Edir Macedo, bispo da Igreja Universal do Reino de Deus, pediu um adiamento de 90 dias no pagamento de suas dívidas trabalhistas, em ação protocolada na Justiça do Trabalho, em São Paulo.

A emissora entrou na 1ª Vara do Trabalho da Capital com pedido de suspensão do pagamento de dívidas judiciais trabalhistas sem juros ou multas, informa Ricardo Feltrin, colunista do UOL.

O motivo alegado pelo escritório contratado pela Record é a perda de anunciantes e suspensão de contratos de publicidade na emissora, causada pela pandemia de coronavírus.

A emissora vem perdendo audiência nos últimos anos, atualmente alternando-se em segundo e terceiro lugares na audiência com o SBT.

A Record confirmou o pedido de moratória e diz estar de acordo com a lei.

Segundo texto da petição de defesa da Record, grandes anunciantes como Bradesco, Toyota, Banco do Brasil, Ambev (a lista a qual a coluna teve acesso tem 249 anunciantes) já cancelaram inserções comerciais ou suspenderam a veiculação de propagandas.

Outros anunciantes, diz o advogado, estão renegociando redução dos contratos. Isso levou a rede de TV a enfrentar “severas dificuldades econômicas”, diz o texto da petição.

Uma das dívidas da Record, por exemplo, é com uma ex-funcionária que ganhou um processo de cerca de R$ 3,0 milhões. Ainda faltam seis parcelas mensais.

Procurado, o advogado Kiyomori Mori, que defende essa trabalhadora, crê que a Justiça não acolherá o pedido porque o grupo é proprietário, entre outras empresas, de um banco: o Renner.

“Trata-se de uma das principais instituições financeiras do Rio Grande do Sul e foi condenada solidariamente com a TV Record em vários processos trabalhistas, inclusive neste que ela diz não ter dinheiro para pagar”, afirmou Mori.

“Não há por que deixar de pagar simples trabalhadores quando boa parte da sua elite de apresentadores ostenta vida nababesca durante a quarentena em redes sociais”, declarou o advogado.

Mori pediu à Justiça que a TV Record apresente extratos bancários e de contas de investimentos, bem como os últimos balancetes, contratos de publicidades e faturas, entre outros documentos requeridos pela defesa da trabalhadora.

Para saber se de fato a emissora está em dificuldades, ele também pede que a emissora revele o salário de estrelas como Rodrigo Faro e Xuxa, entre outros. Não há data prevista para a decisão judicial.

Procurada, a Record confirmou o pedido de moratória, por meio de sua direção de Comunicação.

Segundo a emissora o pedido obedece ao decreto vigente a qualquer empresa, e que permite essa suspensão de dívidas trabalhistas sem ônus e multas.

Fonte: Ricardo Feltrin – colunista do UOL